Terça-feira, 21 de Maio de 2019
ACESSO

Moradores de áreas alagadiças em Manaus têm água potável pela primeira vez

Morando próximo a igarapés ou margem de rios, muitos moradores nunca tiveram abastecimento de água 100% potável, o que propagava doenças e dificultava a rotina



redes__ereas_BF277EEA-0A01-4AB9-BC35-94413FC46026.jpg
No passado, a aposentada Ivony da Silva precisava ferver a água para cozinhar ou beber. Foto:Euzivaldo Queiroz
22/03/2019 às 11:56

Em Manaus, uma parte  da população mora em áreas de palafitas. São construções de característica similar da região amazônica, onde as casas são erguidas sobre troncos ou pilares. Morando em áreas alagadiças como igarapés ou margem de rios, muitos moradores nunca tiveram um abastecimento de água 100% potável, o que propagava doenças e dificultava a rotina. 

Esta é uma realidade que hoje não faz mais parte da vida de quem mora no beco Nonato, no bairro da Cachoeirinha, Zona Sul da capital. Eles foram beneficiados com as chamadas redes aéreas, uma tecnologia aplicada pela Águas de Manaus com o intuito de melhorar o serviço, combatendo  a perda da  água tratada e facilitando os trabalhos de manutenção no local.

Anteriormente, segundo um levantamento feito pela empresa, as casas eram abastecidas por ligações irregulares, quase sempre submersas nos igarapés. Além de ter contato direto com esgoto, os canos possuíam vazamentos difíceis de serem localizados, principalmente nos períodos de cheia do Rio Negro.

Tubulações antigas

Os problemas eram constantes, segundo a aposentada Ivony da Silva, de 64 anos. Ela mora no local há mais de 30 anos com boa parte da família e conta que antes do novo sistema  eles até tinham água, mas tudo era muito precário devido as tubulações antigas em meio a lama. “Tinha dias que estava só o barro, e a água vinha misturada com a lama e nem dava para cozinhar. Com as novas ligações melhorou muito, a água vem limpa, dá para beber. Antes a gente tinha que ferver. Não era de qualidade. Então desde que isso foi feito melhorou tudo, até o abastecimento. Agora a água vem todo dia e se tem problema de vazamento é resolvido logo”, comentou.

Somente no beco Nonato, foram mais de 240 metros de extensões de redes, sendo realizadas 36 novas ligações de água, totalizando 60 ligações ativas no local. Uma dessas ações beneficiou a comerciante Gisele Dantas, 39, que mora em uma residência com os filhos e o marido e assim como dos demais moradores, foi cadastrada na Tarifa Social, benefício estabelecido via Decreto Municipal, que concede desconto na conta de água para moradores de baixa renda. 

“Esse sistema ajudou muito, antes nunca ninguém tinha feito isso dessa forma. Não éramos vistos como pessoas que precisam ter uma água descente e limpa em casa. Hoje isso é possível e podemos ter água potável dentro de casa, sem que a encanação fique misturada na lama. Agora podemos beber até da torneira se a gente quiser”, afirma.

Tecnologia

O diretor presidente da empresa, Renato Medicis, conta que nunca tinham feito esse tipo de método e que a tecnologia implantada mostra o olhar para as pessoas, com objetivo de  encontrar um meio de facilitar a vida delas. “Onde estiver palafitas e as pessoas quiserem um serviço de qualidade nós vamos fazer. E as pessoas querem. Porque inclusão social é dignidade. É uma técnica que testamos, vimos que dava certo. A gente disciplinou, viu quanto o nível do rio sobe ou desce , colocamos as tubulações protegidas. Isso a gente nunca fez em lugar nenhum. É uma particularidade daqui. É viver o dia a dia da cidade e ir adequando cada local com o que precisa”, explica.

Outras áreas com água encanada 

Outras áreas do bairro, como os becos Gal Glicério, Ayrão e Mestre Chico 2, também tiveram o sistema de rede área instalado, o que atende hoje mais de 100 residências nessa região. Moradores de outros bairros, como Raiz, Colônia Oliveira Machado, Educandos e Aparecida também foram contemplados com a tecnologia após o projeto ‘Vem com a gente’ passar nos locais. O programa ‘Vem Com a Gente’ foi lançado em agosto de 2018 com o objetivo de garantir maior proximidade da empresa com a população, oferecendo serviços nos bairros com agilidade e comodidade aos moradores. A ação itinerante facilita os serviços e no mesmo período dos atendimentos nos bairros, as equipes da empresa realizam os serviços solicitados pela comunidade nas casas e ruas. “O grande trabalho que estamos fazendo é a aproximação da empresa ao cliente. É uma equipe multidisciplinar, que entra no bairro e faz tudo. Regulariza tudo do ponto de vista técnico. Indo de bairro em bairro, estamos conseguindo conhecer o que os locais precisam”, explicou Medicis.

Tarifa social

Para aderir ao benefício é necessário ser cliente da classe residencial, ser titular da ligação de água, proprietário, possuidor legítimo ou inquilino; estar inscrito no programa “Bolsa Família” do Governo Federal; possuir ligação de água hidrometrada, sem violação, adulteração ou fraude.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.