Publicidade
Especial
Amor desde pequeninos

Um amor que se eterniza nas gerações

De pai para filho, festival folclórico de Parintins e o amor por Garantido e Caprichoso ainda vão longe. 24/06/2013 às 09:53
Show 1
Matheus e Ana Beatriz brincam com seus bois de pano: tradição se faz assim!
Mariana Lima Parintins

As brincadeiras dos bumbás completam cem anos em 2013. E se depender dos pequenos torcedores, que acompanham os ensaios dos bois Caprichoso e Garantido, a paixão pela tradição bovina tem fôlego para mais um centenário. Quem vê a menina Lara, de cinco anos, dançando no palco do curral do Garantido se espanta.  Vestida de vermelho da cabeça aos pés, ela acompanha todas as coreografias dos dançarinos profissionais sem errar um passo. E para evitar qualquer dúvida do que vai ser quando crescer, responde sem pensar duas vezes: “Vou ser Rainha do Folclore do Garantido!”.

O sonho da menina e de outras centenas de crianças parintinenses nasce no berço. A mãe da dançarina,Nara Castro, que toca na batucada, conta que a vontade de brincar de boi é de família e que a escolha do bumbá é quase sempre definida dentro de casa: “Lá em casa não entra azul. Todos nós somos Garantido e ela vai ser também.Trago ela todos os dias para o ensaio e ela já está bem habituada ao vermelho”, diz.

Na ilha Tumbinambarana há espaços ainda para paixões transformadoras. A dona de casa Idalina Melo e o esposo Nadson da Silva, ex-torcedores do Caprichoso, deixaram a blusa azul de lado após o nascimento do pequenoMatheus, hoje com três anos.

“O Matheus já nasceu Garantido e ninguém consegue trocar isso nele. Na minha família todos são Caprichoso,mas ele conseguiu com que gostássemos também do vermelho. Hoje em dia, sou Garantido de coração e até minha mãe já aceita o fato dele gostar do boi contrário”, diz Idalina

‘Tá no sangue’

Do lado azul da ilha a história não é muito diferente.A pequena Ana Beatriz, de um ano e seis meses, dá show nos ensaios do Caprichoso. “A Beatriz e os meus outros três filhos amam o Caprichoso. Meu marido,que é do contrário, tenta fazer eles mudarem de ideia, mas o amor já está no sangue. Isso é visto quando a Beatriz vê o Caprichoso nos ensaios, quer sair correndo para beijá-lo!”, conta a mãe da torcedora-mirim, JosaniraAraújo.

A mãe caprichosa faz questão de reforçar a tradição e deixar os filhos cada vez mais envolvidos no boi. “Trago a mais velha,Milena, para aprender os passo do Caprichoso e fazer aulas de artesanato na escolinha do boi. Ela já é fanática, como eu. Os dois meninos também vivem por aqui. Com a Beatriz não vai ser diferente. Trago ela aos ensaios toda a semana desde fevereiro.Vou puxar sempre a sardinha pro meu boi!”, brinca Josenira.

O amor pela tradição azul e branca também é repassada a Raimundinho, de dois anos. A mãe do menino, a artesã Milene Pimentel, afirma que o garoto nunca usou a cor contrária e que não se sente à vontade como Garantido. “Brinco que o Raimundinho sempre quis ser fanático porque queria nascer já no dia do lançamento do DVD, em 2012. Em casa, a gente coloca as toadas para tocar e ele não para um segundo”, diz.

Publicidade
Publicidade