Publicidade
Carnaval
ENREDO

A Grande Família conta a sua história e a do bairro São José Operário no desfile deste ano

Histórias e feitos da escola de samba vermelha e branca e do bairro de São José Operário se fundem em enredo que fala de dois dos maiores expoentes da Zona Leste da cidade 03/02/2017 às 05:00 - Atualizado em 13/03/2017 às 08:57
Show agrandefamilia
A Grande Família mobiliza um grande número de simpatizantes da Zona Leste todos anos nos dias de desfile / Foto: Euzivaldo Queiroz
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Eles se completam, suas histórias se confundem, são unha e carne. A escola de samba A Grande Família e o bairro de São José Operário são assim, parece que foram feitos incrivelmente feitos um para o outro. E é com esses laços de união fraternal que a agremiação vai para o Sambódromo desfilar no próximo dia 25 de fevereiro em busca de mais um título para o seu Carnaval.

O enredo enfoca os 36 anos do bairro, um dos mais populosos da grandiosa Zona Leste, e nos 30 anos da escola com “Grandes sonhos, Grande Família, Grande Circular... Meu São José, fonte viva de histórias e cultura popular”.

“Já falamos de tantas celebridades nos nossos desfiles. Das arte, tivemos Moacir Andrade, sobre mulheres que se destacaram tratamos de Sadie Hauache e Eunice Michiles. Dos municípios abordamos Coari, Borba e Venezuela. Falamos do trânsito. E, agora, nada mais justo do que homenagear as raízes de onde tudo começou. Desse povo que sempre nos acolheu. Esse enredo caiu como uma luva. Fizemos o melhor enredo. Não é um enredo patrocinado, mas é rico, toca na vaidade, no ego das pessoas e valoriza quem sempre nos deu valor”, analisou Almir Inácio, que tem como vice o dirigente Lúcio Mauro Cabral.

A Grande Família será a sexta escola de samba do Grupo Especial do Carnaval de Manaus a desfilar no Sambódromo no próximo dia 25 de fevereiro, mediante um orçamento previsto de R$ 360 mil.

O valor é bem menor que os R$ 780 mil de 2015, quando a vermelha e branca veio com o enredo “Orixás - A Força que Vem da Natureza”, que levou a agremiação ao terceiro lugar do campeonato, e é fruto da otimização de recursos que a nova diretoria implantou na escola há 9 meses.

“Desde o ano passado estamos otimizando recursos senão não conseguimos fazer o nosso Carnaval. Uma escola do porte da nossa precisa de em torno de R$ 800 mil a R$ 1 milhão para fazer seu desfile. O Carnaval dos Orixás foi feito com R$ 780 mil em 2015”, destaca ele, comentando que todas as escolas do Grupo Especial são iguais, cumprindo os mesmos prazos, regulamentos e recebendo os mesmos valores de repasse financeiro do Estado e Município, mas que o que diferencia cada uma são os fãs que injetam mais patrocínio.

No dia 25 de fevereiro, A Grande Família desfilará com cerca de 3.200 integrantes distribuídos em 21 alas. A poderosa bateria traz 250 ritmistas sob o comando de três mestres de bateria: Julino, Patinha e Careca. Assim como preconiza o regulamento deste ano, serão três carros alegóricos na avenida.

O carnavalesco da escola é Jorge Luiz Granjeiro, e o diretor de Carnaval Fábio Corrêa.

Quinho no galo

O samba campeão, de autoria dos compositores Marquinhos Dutam, Klinger Lyra, Altemir Souza, Herlon, Kalango, Alexandre Lima, Gabriel Dutam, Dayvid Noronha, Lauro Tabuleiro e Marinho Saúba, teve o privilégio de ter sido gravado pelo intérprete Quinho do Salgueiro e Herlon do Banjo. No desfile oficial, o puxador será Mestre Kabessa, que substituiu Marden Gonçalves que será apoio na ala musical. 

Expectativa

A expectativa do presidente Almir Inácio para esse ano é que dê “Galo na cabeça”. “Queremos o primeiro lugar e não posso pensar em outra posição que não seja essa, claro respeitando as co-irmãs. Parabenizo todos os presidentes das agremiações pois são guerreiros, são loucos pois se não fossem loucos não seriam dirigentes de escolas de samba. E os parceiros são loucos e meio”, disse Almir Inácio.

Ano do galo

Estamos, de acordo com o Horóscopo Chinês, no Ano do Galo, que é o mascote e símbolo da A Grande Família. Será que pintou o campeão? Almir Inácio responde: ”Não sou supersticioso, mas estou bastante otimista, e quando você faz as coisas certas, tem certeza que vai dar certo”, destaca ele, que dá outro motivo para a torcida vermelha e branca ficar na expectativa por mais um título: “Todas as nossas conquistas foram em anos ímpares”. Fica a dica, pra você que tem fé na A Grande Família.

Força da comunidade é ressaltada

O presidente da A Grande Família, Almir Inácio, exemplificou a importância da comunidade da Zona Leste para o sucesso da escola de samba. “Se eu sou um chefe de cozinha e a comida não me agrada, como eu quero que ela agrade fora? Antes as pessoas buscavam fora o que nós temos na comunidade. É essencial e superimportante o apoio da comunidade com a agremiação. Tem que partir de casa a essência, esse apoio. Por isso não pensamos duas vezes quando apresentaram esse enredo para nós”, disse o dirigente da escola de samba vermelha e branca.

“Não existe agremiação sem a sua comunidade, que pula de galho em galho. Quando você fortalece as suas raízes, você fica forte para as batalhas. Somos uma comunidade guerreira que soma com você e no dia do desfile enche a ferradura e está invadindo as laterais das arquibancadas”, disse o presidente.

Frase

É essencial, superimportante esse apoio da comunidade para com a nossa escola de samba”

Almir Inácio, presidente da escola de samba A Grande Família

Em números

R$ 360.000

é o orçamento da escola de samba A Grande Família para o Carnaval deste ano entre as grandes agremiações da folia amazonense, dia 25 de fevereiro, no  Sambódromo.

Publicidade
Publicidade