Publicidade
Carnaval
Especiais

Boca Juniors do Aleixo quer ‘morder’ adversários no Peladão

Do tatame para o campo, o volante Júnior Freitas, 28, é um dos destaques do time que disputa a sua sétima edição do Peladão 11/09/2015 às 11:08
Show 1
Júnior Freitas não vai pegar leve nos campos peladeiros de Manaus
EQUIPE PELADÃO 2015 ---

Na garra, no suor e no coração, é desta forma que o Boca Juniors do Aleixo vai pra cima de seus adversários no Peladão. Do tatame para o campo, o volante Júnior Freitas, 28, é um dos destaques do time que disputa a sua sétima edição do Peladão. O lutador de Mixed Martial Arts (MMA) e faixa preta de jiu-jítsu irá migrar as suas habilidades psicológicas como a garra e, principalmente, a raça para dentro de campo.

Júnior Freitas é lutador e ganha a vida dando aulas de jiu-jítsu. Ele também irá jogar este ano pela primeira vez no time do Boca Juniors, que é uma equipe formada por amigos de infância dele. Assim como dentro do tatame e do ringue, Freitas irá suar a camisa dentro das quatro linhas para garantir o melhor para sua equipe. Garra, força e dedicação é o lema do time, disse Freitas.

“O time do Boca tem muita raça e não irá desistir nunca, foi por isso que nós (ele e seus amigos de infância) escolhemos por este nome no grupo”, explicou. O time foi criado em 2008 por Roberto Jardel, 31, um dos jogadores do time e, atualmente, um dos integrantes da diretoria. Ele explicou que sempre acompanhou os jogos do Boca Juniors da Argentina e sempre gostou do jeito brigador que o clube se comportava dentro de campo.

“Decidimos colocar porque os caras jogam com garra e dão o sangue pelo time. Inspirei-me nisso na hora de batizar o nome do time e também porque no Peladão ainda não tinha nenhum time com esse nome”, relatou Jardel ao comentar ainda que até os uniformes da equipe são iguais ao do time original.

Expectativa

Se o Boca do Aleixo jogar igual ao time original, o grupo de argentinos “barés” vai longe. A expectativa da equipe é de chegar aos 60 times. Ano passado, o time foi eliminado pelo Sangue de Boi. “Tenho certeza de que vamos chegar entre os 60 times, como foi da útlima vez”, explicou o presidente Robson Maurício de Lima. O Boca do Aleixo já é um time ganhador de muitos títulos no Aleixo. Falta o maior de todos os títulos agora.

Publicidade
Publicidade