Publicidade
Carnaval
Especiais

Bom na bola e nas leis: Jovem deixou de se profissionalizar para focar no direito

Guga deixou o futebol de lado para estudar e se formar advogado, mas agora resolveu ajudar o Millerplast, time de destaque no Peladão brahma 2015 20/11/2015 às 16:17
Show 1
Guga tem ralado muito para conciliar suas atividades diárias
equipe peladão 2015 Manaus (AM)

“Chegou um momento na minha carreira que eu tive que escolher entre ir para o profissional jogar futebol ou estudar. Então eu resolvi estudar”. Assim afirmou o hoje advogado Luiz Andrade, ou “Guga”, 25,  como é conhecido no mundo do futebol. Ele é um dos craques do time Millerplast que vem fazendo uma bela campanha e sendo uma das surpresas entre os 60 melhores da categoria principal do maior campeonato de peladas do mundo.

Apaixonado por futebol desde criança, Guga passou pelas categorias de base de alguns clubes amazonenses, como o América e o Tarumã. Mas, quando estava prestes a se profissionalizar, resolveu optar por fazer a faculdade de direito, há oito anos, por incentivo do pai, Igson Andrade, que também é advogado. “Quando a gente gosta de futebol, é assim mesmo.

Trabalha de dia, estudava à noite e depois, ou nos finais de semana, jogava futebol”, confessou o jogador ao acrescentar que  ainda teve passagens pelo futsal, guardando no currículo um  título amazonense pelo Cirmman, em 2013, e ainda enfrentou o Corinthians na Taça Brasil de Futsal pelo Real Madrid.

Focado no Peladão, Guga está otimista pelo título e vem conseguindo conciliar as audiências, atendimentos no escritório de advocacia,  a família, a atenção para namorada com as partidas do Peladão. “A minha família sempre acompanha e a namorada é minha torcedora número um, está em todos os jogos”, declarou.

Uma máquina de fazer gols

Técnico do time, Raiderson Teco  resolveu abraçar o projeto do grupo RS Plástico e garimpou na cidade os grandes boleiros que fizeram história no Estado e fora do Amazonas e há seis meses começou a fazer os primeiros contatos resultando em 16 ex-profissionais no plantel e outros jovens experientes no Peladão como o volante Batista (ex-Fast), o zagueiro William

Xuxa (ex-Nacional), o atacante Fabinho (ex-São Raimundo, Princesa do Solimões, Sul América, Nacional-SP), entre outros.

“O projeto é resgatar ex-atletas profissionais e dar uma estrutura de time profissional. O time está entrosado, aí fica fácil trabalhar com o pessoal que é acostumado a seguir regras e tem obediência tática”, destacou o treinador ao acrescentar que o time está focado na fase do mata-mata.

O Millerplast faz no Peladão Brahma uma campanha de dar inveja a muitos times do certame e mira o troféu do campeonato. Com  36 gols marcados em seis partidas, o time sofreu apenas dois gols (contra o CRA FC e Amigos do Teca).

Publicidade
Publicidade