Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
FISCALIZAÇÃO

Campanha de proteção às crianças e aos adolescentes é realizada em bandas

O principal foco da campanha é informar para o cumprimento de portaria do Juizado da Infância e da Juventude que proíbe a entrada de crianças menores de 5 anos em qualquer evento de Carnaval



campanha_2.JPG Fotos: Aguilar Abecassis/Secom e Divulgação/Seas
04/02/2018 às 17:55

A Campanha de Proteção às Crianças e aos Adolescentes no Carnaval 2018 iniciou neste fim de semana nas bandas carnavalescas de Manaus, segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-AM) e a coordenação da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas). No próximo final de semana a Campanha atuará no  Sambódromo, no Desfile das Escolas de Samba e no Carnaboi.

O principal foco da campanha é informar, sensibilizar e orientar para o cumprimento da Portaria 001/2018 do Juizado da Infância e da Juventude que proíbe a entrada de crianças menores de 5 anos de idade em qualquer evento de Carnaval. Para as crianças e adolescentes entre 5 a 14 anos a permanência nas bandas e blocos de Carnaval fica limitada ao horário das 18h, desde que acompanhadas com os pais ou responsáveis e devidamente documentados.

“Estamos fazendo a fiscalização do entorno, da área, vendo tudo que está errado e combatendo a exploração sexual de crianças e adolescentes, com uma equipe da campanha. Todas as atividades ilegais e irregulares são combatidas in loco pela equipe”, destacou Bosco Saraiva, vice-governador e secretário de Segurança Pública do Amazonas.

Parcerias

Com foco no trabalho infantil, o Ministério Público do Trabalho está presente nas ações. A procuradora do MPT Alzira Costa destaca o trabalho de proteção aos direitos destas crianças e adolescentes. “Estamos tendo um olhar diferenciado à criança e ao adolescente para que eles não estejam presentes depois das 18h nas bandas. Isso é uma medida para proteger nossas crianças e adolescentes contra diversos tipos de exploração”, destacou a procuradora.

A delegada da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA), Juliana Tuma, destaca alguns dos vários riscos que as crianças e adolescentes sofrem ao participarem de bandas de Carnaval. “Estas crianças e adolescentes que ficam em eventos carnavalescos estão sujeitas a pisoteamento, a uma briga, a pessoas que beberam bebidas alcoólicas e podem não se portar bem. Então a gente orienta a esses pais que não tragam crianças”, disse a delegada.

Adesão das famílias

A funcionária pública Eglandina Rocha levou suas duas netas, de 6 e 8 anos, para a Banda da Bica e após ser orientada pela equipe de abordagem social da Seas, parabenizou a campanha do Governo do Estado.

“Sou a favor dessa mobilização do governo, pois acredito que é uma medida que traz segurança para as crianças. Apesar de ter trazido minhas netas, não faço uso de bebida alcoólica e sigo todas as recomendações. Gostamos de nos divertir em família, mas respeitando a lei e tomo todos os cuidados para que as meninas estejam em segurança nesses ambientes de festa. Por exemplo: cada uma delas usa um crachá de identificação com nome e o número de telefone dos seus responsáveis. Vamos ficar aqui até a hora permitida e depois retornamos para casa”, disse Eglandina.

Mãe de um menino de 3 anos, a funcionária pública Moara Costa apoiou a campanha. “É uma medida necessária para o bem das crianças, que ainda não sabem o que é certo ou errado. Não trago meu filho, pois não é um ambiente para crianças muito pequenas. É um fluxo grande de pessoas e a facilidade de se perder é muito grande, além de ter um público diverso que faz uso de bebida alcoólica. O governo faz bem em garantir a proteção às crianças e aos adolescentes”, parabenizou Costa.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.