Publicidade
Carnaval
Especiais

Carnaval de Rua do Educandos chega à sua 35ª edição ainda mais irreverente e popular

Blocos de sujos que lembram o início dos desfiles de Carnaval são algumas das marcas registradas dos quatro dias do evento de 6 a 9 de fevereiro 28/01/2016 às 08:51
Show 1
A irreverência é uma das marcas registradas na Cidade Alta
Paulo André Nunes Manaus, AM

A “Cidade Alta”, como é conhecido o bairro de Educandos, na Zona Sul, estará novamente em festa do dia 6 a 9 de fevereiro com o seu tradicional Carnaval de rua. Em sua 35ª edição, as ruas Rua Inocêncio de Araújo com Boulevard Rio Negro, mais a área do Centro Social Zulândio Pinheiro ficarão, lotadas de foliões pulando ao som do tema “Cachorro Cansado Não quer mais Furunfar”. O horário da animação é de 17h à meia-noite, informa o radialista Erasmo Amazonas, organizador do evento.

CARACTERÍSTICAS

É impossível falar dos eventos carnavalescos de Manaus sem fazer referência ao carnaval de rua de Educandos. Uma das características que o diferenciam das outras festas do Estado é o fato dele manter as tradições dos carnavais antigos como os que eram realizados na Avenida Eduardo Ribeiro: há a disputa entre os blocos carnavalescos que é, por si só, outro acontecimento imperdível: eles desfilam para o público, em veículos, como se estivessem em plena Marquês de Sapucaí esbanjando irreverência e criatividade.


Outra particularidade é ter seu concurso de fantasias, Carnaval infantil com a eleição da rainha mirim, concurso de rainhas destacando a beleza da mulher educandense.

UNIÃO DOS BLOCOS

O público rotativo que prestigia  a festa popular vai das cerca de 20 mil pessoas registradas em média no primeiro dia (Sábado Magro, dia 6) para as 70 mil da Terça-Gorda. Neste último dia de Carnaval, todos os blocos de sujos do bairro – como os irreverentes Bhaixa da Hégua, Banda do Pangaré, o Bloco do Defunto, RAN, Vagabundos, Virgens e o assustador Bloco dos Assombrados - se unem em um só cordão para formar o famoso “Bloco do Cachorro Cansado”.

“O principal bloco e pai de todas as bandas de Educandos é o Cachorro Cansado, que satritiza o pessoal mais velho que não gosta mais de Carnaval. É um bloco sempre picante”, diz Amazonas.

As atrações musicais ainda serão confirmadas pela organização, mas já está garantida a Banda de Metais de Olinda, com muito frevo e marchinhas para o público. Detalhe: fora esses dois ritmos, apenas os sambas-enredos são permitidos na folia, sem axé, forró ou outros segmentos.

Quem não se fantasiar para sair nos blocos de rua pode adquirir a camisa oficial do evento que está sendo vendida a R$ 10 nos bares na Confraria do Pelegrino (em frente à Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na rua Inocêncio de Araújo) e no Centro Social Zulândio Pinheiro. A camisa, brinca Erasmo Amazonas, “é a mais barata do Carnaval, sendo comprada a R$ 11 e vendida a R$ 10”.


A brincadeira momesca começa de forma bem peculiar: nas primeiras horas do Sábado Gordo, os moradores de Educandos serão despertados pela gravação de um latido de um “cachorro cansado”, garante a organização, anunciando a abertura oficial do 35º Carnaval de Educandos. Segundo com o organizador, a “expectativa é que esse Carnaval mostre que, quando há união, alegria e entusiasmo, não há nada que impeça o povo de fazer alegria, afinal de contas, a população merece brincar e ter seu lazer após tanta roubalheira”.

HISTÓRICO

O Carnaval de Educandos surgiu por iniciativa de alguns comunitários, como o funcionário público Rubens Freitas e outros, com o objetivo de trazer as alegrias da maior festa brasileira para dentro da comunidade da Zona Sul. Coube ao radialista e artista plástico Erasmo Amazonas a responsabilidade de transformar a vontade em realidade.


Publicidade
Publicidade