Publicidade
Carnaval
TRADIÇÃO

Com tradição foliã, Carnaval de Educandos faz 37 anos de alegrias e histórias em 2018

Famoso Carnaval da Zona Sul de Manaus é marcado por histórias curiosas da participação de caciques e revelação de beldades para escolas de samba cariocas; evento começa dia 10 de fevereiro e vai até a Terça-feira Gorda 16/01/2018 às 17:10 - Atualizado em 16/01/2018 às 17:12
Show carnavaldeeducandos
Um público estimado em 70 mil pessoas são esperados no Carnaval de Educandos / Foto: Arquivo/AC
Paulo André Nunes Manaus (AM)

O Carnaval de Educandos reserva curiosidades e particularidades que fazem parte da história da folia amazonense. Indo este ano para a 37ª edição, o evento, que inicia no dia 10 de fevereiro e vai até a Terça-Feira Gorda, dia 13, é organizado na rua Inocêncio de Araujo entre a rua Manuel Urbano e Delcídio do Amaral, e na extensão do Mirante do Amarelinho, sempre de 15h à meia-noite.

Um dos exemplos dos bons frutos que o Carnaval da Cidade Alta (como é conhecido o bairro) forneceu é a bela Mayla Jéssika Liarte, que foi Rainha de Educandos em 2013, passou pela escola de samba Mocidade Independente de Aparecida e que, este ano, foi escolhida como a Musa da Unidos da Tijuca, tradicional agremiação carioca.


Mayla Jéssika Liarte, hoje Musa da Unidos da Tijuca, e Erasmo Amazonas, organizador do Carnaval de Educandos 

“Foi a partir do nosso Carnaval de Educandos que a Mayla Jéssica se destacou”, disse o radialista e organizador da folia Erasmo Amazonas.

Caciques

Ele lembra que a folia educandense sempre foi frequentada pelos antigos caciques políticos do Estado do Amazonas. Um deles, recorda Erasmo, foi o folclórico ex-governador Gilberto Mestrinho. Entre outras autoridades também brincavam o Carnaval no local o atual governador Amazonino Mendes, o escritor. Da esfera cultural, havia foliões como o escritor Simção Pessoa, a jornalista já-falecida Elaine Ramos e, na área do Direito, Ary Castro, ex-presidente da seccional Amazonas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM).

Mudança de palco

Curiosamente, em 36 anos de edições o Carnaval de Educandos só mudou de local uma única vez. Foi em 2006, quando ele deixou a área do Mirante do Amarelinho para ser realizado na área do Prosamim de Educandos. “Transferimos o evento para o Prosamim recém-inaugurado, pois na época achávamos o espaço maior. No entanto, apareceu um poluidor que, com uma balsa de excrementos, lançou o lixo no igarapé e matou o Carnaval. E nunca mais voltamos para lá”, descreve Erasmo Amazonas.

Antes da abertura oficial do  Carnaval de Educandos, acontece dia 4 de fevereiro a Bhanda da Bhaixa da Hégua, uma das maiores manifestações carnavalescas do Estado, também na rua Inocêncio de Araújo, no trecho compreendido entre o Boulevard Rio Negro e rua Manuel Urbano. O horário é o mesmo: de 15h à meia-noite.

Já a abertura oficial do tradicional Carnaval de Educandos, a 37ª edição, acontece dia 10, e neste ano o tema é “Amarelinho”, porta aberta para o mundo”. “A justificativa para a escolha do tema tem tudo a ver com o local onde a festa se realiza: o Amarelinho, um espaço emblemático, embelezado pela natureza e um dos poucos em Manaus de onde se tem uma visão panorâmica do majestoso rio Negro. Além disso, o “Amarelinho” é uma das primeiras imagens avistada do alto dos transatlânticos pelos turistas que nos visitam vindos pelo rio”, diz o radialista Erasmo Amazonas. 

Na Terça-Feira Gorda, todos os blocos e bandas se unem num único cordão para a alegria geral dos foliões de uma das festas carnavalescas mais famosas do Estado.

Frase

"Houve, no Carnaval de Educandos, um retorno às origens: a população voltou a preferir as praças e ruas”, diz Erasmo Amazonas, organizador do evento.

Em números

Setenta mil foliões são esperados para os quatro dias de folia do 37º Carnaval de Educandos, sob a cadência de tradicionais frevos e marchinhas.

Publicidade
Publicidade