Publicidade
Carnaval
Especiais

Deu ‘azul’ nas três noites: coletivo garantiu ao Caprichoso as notas mais altas do início ao fim

Garantido foi superior nos itens individuais, mas o coletivo garantiu ao boi azul as notas mais altas do início ao fim do 50º Festival de Parintins 29/06/2015 às 20:45
Show 1
O Boi Caprichoso somou 1.254, 3 pontos nas três noites do Festival Folclórico de Parintins, contra 1.241,8 do Garantido
Acrítica.com Parintins (AM)

O Caprichoso levou a melhor no Bloco C (Artístico), superando o Garantido nas três noites, em todos os sete itens, que são Ritual Indígena, Tribos Indígenas, Tuxauas, Figura Típica Regional, Alegoria, Lenda Amazônica e Vaqueirada.

A disputa da segunda noite de apresentações foi a mais equilibrada de todas. Na arena, o Caprichoso surpreendeu ao fazer adequações no roteiro do espetáculo. A alegoria de “Cãoera”, que entraria na primeira noite como Ritual Indígena, foi utilizada na segunda apresentação do azul e branco como Lenda Amazônica, substituindo “Nhetãn Hekãn”, que virou uma celebração tribal.

O título de “Galera Campeã” do Festival também ficou com o Caprichoso, que somou 60 pontos contra 58, 1 da galera encarnada, considerando-se todas as notas, sem descartes.

Itens individuais

O touro negro venceu em Levantador de Toadas, Apresentador e Sinhazinha da Fazenda. No Garantido, venceram Amo do Boi, Porta-Estandarte, Cunhã Poranga, Boi Bumbá Evolução e Pajé.

Uma das disputas mais acirradas foi no item individual apresentador, defendido pelos irmãos Paulain. Júnior venceu Israel por pequena diferença de pontos: 59,9 a 59,2.  No item Rainha do Folclore, Brena Dianná e Isabelle Nogueira empataram, com 59, 1 pontos.

O bumbá da Baixa do São José teve notas mais altas nos itens individuais, mas se saiu pior que o ‘rival’ nos coletivos (Foto: Antônio Lima)


Noite a noite

A primeira noite foi do boi Caprichoso, com 418, 9 pontos. O Garantido ficou com 412,1. Entre os destaques da abertura da festa estava a sinhazinha do Caprichoso,  Karyne Medeiros,  que recebeu nota 10 de todos os jurados. O desempenho se repetiu nas outras duas noites de festa.

Na parcial da segunda noite, que foi bem mais equilibrada, o Caprichoso ampliou a vantagem para 6,9 pontos. O boi azul obteve 415,7 pontos nesta noite. O Garantido teve 415,6.  No final o boi azul ficou com 1254,3 pontos, contra 1241,8 do bumbá vermelho.

Mas a vitória mesmo veio com os dois pontos a mais que a Marujada de Guerra impôs à batucada. E ao 1,9 ponto do item toada/letra e música. Essas foram as duas maiores diferenças de pontuação, seguidas pelas notas no item coreografia, com vantagem de 1,3 ponto para o azul.

Ponto a ponto

No geral, o Caprichoso se saiu pior nos itens individuais. Além do apresentador, foram superiores o levantador e a sinhazinha. O Garantido venceu com a porta-estandarte, o amo, o pajé, a cunhã e o boi. Houve empate das rainhas do folclore.

A diferença a favor do Touro Negro surgiu em itens coletivos e de conjunto. Neles, o Caprichoso venceu do início ao fim. O polêmico ritual indígena, pontuado inclusive na noite em que não entrou na arena, gerou diferença de meio ponto a favor do azul.

Em números

1.254

Essa foi a pontuação que deu o título do Festival Folclórico de Parintins ao Boi Bumbá Caprichoso, contra 1.241, 8 do Garantido. A diferença foi de 12, 5 pontos.

O Garantido ainda foi penalizado em um ponto na terceira noite com base no artigo 40, que trata do número mínimo e máximo de componentes dos itens coletivos.

Publicidade
Publicidade