Segunda-feira, 24 de Junho de 2019
Especiais

Duas mães e três filhas: laços de amor eterno e exemplo de maternidade e união

Casal de mães, as Godoys remontam histórias e preconceitos vencidos por elas para conviver em família com as três filhas



1.jpg 'Moniquinha' trouxe amor e felicidade ao seio da Família Godoy. Ela nasceu por meio do processo de reprodução artifical
09/05/2015 às 17:32

Já faz um tempo que a família deixou de ser sinônimo de pai e mãe morando juntos. Hoje, tem até filhos que moram com duas mães. É o caso de Mônica Cristina Godoy e Monaliza Godoy, advogada e fisioterapeuta, mães de três filhas.

Elas estão juntas há oito anos e casadas há três. O amor, de tão grande, não cabia mais nelas, tanto que decidiram espraiar a felicidade e o sonho de ter outro filho. Mas, para contar essa história é preciso voltar no tempo, há cinco anos, quando elas tinham apenas dois filhos: um adolescente de 16 anos, fruto de adoção, e um menino de 13 anos, filho de Monaliza, de um primeiro relacionamento.

A decisão tomada pelas duas mães (de ter outro filho) ignorou o preconceito que uma relação homoafetiva ainda provoca. A família então ganhou mais um ente, mas desta vez, por meio do processo de reprodução artificial assistida, feito em São Paulo. “Moniquinha”, como é chamada carinhosamente pelas mães e irmãs, hoje com 5 anos,  aprendeu a andar de patinete e virou uma especialista, adora o desenho animado “My Little Pony” e tem uma considerável coleção de pôneis.

Na última sexta-feira, Moniquinha saiu da escola com dois presentes (para as duas mães), após a homenagem antecipada ao Dia das Mães. “Ficamos sempre muito emocionadas com as atitudes de nossa pequena filha”, declarou Mônica Cristina.

Com a família consolidada e  completa, Monaliza Godoy ressalta que a  relação com as  filhas é exatamente igual a de qualquer outra família saudável, sem nenhuma diferença. “Temos nossas rotinas diárias de escola das crianças, trabalho, supermercado, casa, quarto desarrumado, gato,  cachorro,  entre outros afazeres”, comentou.

Apesar das obrigações e momentos de lazer, as maiores  preocupações das mães é com a educação das filhas. “Podemos afirmar que temos três meninas de ouro e que se dedicam bastante aos estudos. ‘Mel’ e ‘Bia’  já estão na fase da adolescência e só nos trazem orgulho com as notas escolares e com boas amizades, mas é claro que também adoramos  os passeios com as crianças”, declarou Mônica.

Elo entre mães e filhas

O resultado de tanta harmonia na família está na dedicação das mães. “Podemos afirmar com alegria o quão maravilhoso é ser mãe, poder participar da evolução e do crescimento das nossas crianças é um privilégio, além de nos proporcionar um extraordinário aprendizado”, relatou Mônica.

A advogada lembrou que elas superaram diversos obstáculos, principalmente com as crianças, que conseguiram obter os registros em nome do casal Godoy. Mônica e Monaliza conseguiram um feito inédito na Justiça, em 2012, quando se casaram em Manaus. Hoje, elas moram em São Paulo.

União

Em dezembro de 2012, a advogada Mônica Cristina Pereira de Godoy, 47, e a fisioterapeuta Monalisa Carvalho de Godoy, 30, conseguiram, na Justiça converter a união estável em casamento civil. No mesmo ano, outros casais homossexuais buscaram o reconhecimento junto à lei. 

No Brasil, a união civil homossexual foi reconhecida por força da justiça, tendo sido autorizada diversas vezes, tanto pelo Superior Tribunal de Justiça quanto pelo Supremo Tribunal Federal, a partir de 2011.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.