Publicidade
Carnaval
NOVA REGRA

Escolas de samba não terão acesso e descenso; ensaios serão fora do Sambódromo

Sob argumento da crise, Comissão Executiva das Escolas de Samba de Manaus (Ceesma) anuncia que não haverá rebaixamento e nem subida das agremiações para outro grupo nesta temporada; SEC decide cancelar ensaios técnicos no Centro de Convenções por conta de gastos 08/02/2017 às 05:00 - Atualizado em 08/02/2017 às 08:36
Show desfile
O desfile das escolas de samba de Manaus reúne milhares de pesssoas, todos os anos, no Sambódromo / Foto: Arquivo/AC
Paulo André Nunes Manaus (AM)

O presidente da Comissão Executiva das Escolas de Samba de Manaus (Ceesma), Jairo de Paula Beira-Mar, informou que excepcionalmente, neste ano, não haverá acesso e descenso no Carnaval de Manaus. A entidade congrega as agremiações do Grupo Especial. O principal motivador é a crise financeira pela qual passam as agremiações, diz o dirigente.

“Não vai ter acesso e descesso neste ano porquê as escolas de samba estão fazendo das ‘tripas-coração’ para fazer seu desfile. É um risco grande e, com isso, já existe um acordo entre nós do Grupo Especial com o grupo de acesso em caráter especial em função dessa dificuldade de todas. Houve uma assembleia entre nós e o do grupo de acesso e, em maioria, decidiu-se mudar o regulamento, com um adendo modificando o item e permanecendo as obrigatoriedades, exceto de acesso e descesso”, disse Jairo.

Grupo de acesso

Contactado pela reportagem, o coordenador da União das Escolas de Samba do Amazonas (Uesam), Fabrício Nascimento, confirmou que é muito difícil as escolas do grupo de acesso A, B e C não seguirem o Grupo Especial. “Se não seguirmos um padrão teremos problemas”, disse ele, sobre a confusão que se instalaria caso apenas o acesso voltasse atrás em permanecer sem rebaixamentos neste Carnaval, o que poderia gerar uma espécie de colapso nas quatro divisões da folia amazonense.

“Cada escola faz uma alegação diferente, mas tudo envolve a crise e impossibilidade de se fazer um trabalho em todos os grupos. A questão é administrativa”, conta ele. Hoje é o prazo final para as escolas entregarem seus documentos para a Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) a fim de receber recursos para o desfile, e a impossibilidade do repasse por conta de problemas na prestação de contas das agremiações seria um influenciador na decisão de não haver acesso e descesso esse ano. 

Sem ensaios técnicos

Outra novidade a ser lamentada pelo mundo do samba é que não haverá os tradicionais ensaios técnicos no Sambódromo. A decisão é da Secretaria de Estado da Cultura, argumentando que a realização dos mesmos acarretaria em novos custos para o Estado. O próprio secretário Robério Braga explicou que um momento como este, na realidade, os ensaios técnicos envolvem um aparato como no próprio dia do evento, o que requer todo um suporte de manutenção do local e apoio de todos os órgãos de segurança e trânsito envolvidos. Os ensaios no local foram disponibilizados apenas para as comissões de frente.

Lamentando mais essa questão, o presidente Jairo de Paula Beira-Mar afirmou que a Ceesma vai se reunir em nova assembleia, possivelmente amanhã, para analisar em qual local serão realizados os ensaios técnicos. É grande a possibilidade das escolas utilizarem a rua Belmiro Vianez, a “Avenida do Samba”, em frente à Morada do Samba Luizinho Sá”, onde ficam os galpões das escolas, para esse fim. “Lamentamos pois esse evento visa preparar as escolas para o desfile oficial e não causa qualquer desgaste ao Estado. Mas vamos acatar e respeitar a posição do Governo e ver outro local”, disse Beira-Mar.

Frase

"As escolas de samba estão fazendo das ‘tripas-coração’ para realizar seu desfile”

Jairo de Paula Beira-Mar, Presidente da Ceesma e do Reino Unido

SEC confirma repasse financeiro para escolas dos grupos Especial, A, B e C

Ao contrário da semana passada  quando anunciou que não haveria repasse para as escolas de samba neste Carnaval, o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), confirmou que haverá, sim, ajuda financeira para as agremiações dos grupos Especial, A, B e C. O anúncio veio após reuniões estabelecidas nos dois últimos dias entre o secretário Robério Braga, da SEC, presidentes das escolas de samba e dirigentes da Ceesma e Uesam.

Na última segunda-feira, em reunião com dirigentes do Grupo Especial e Ceesma, Robério Braga confirmou o repasse de verba para as agremiações carnavalescas de recursos oriundos exclusivamente da iniciativa privada, no valor de R$ 91 mil. Destes, R$ 31 mil serão destinados ao pagamento da infraestrutura do Carnaval e os R$ 60 mil restantes serão pagos em espécie. As escolas do Especial desfilam no dia 25, Sábado Gordo de Carnaval, a partir de 20h no Sambódromo (a ordem de desfile é Sem Compromisso, Andanças de Ciganos, Unidos do Alvorada, Reino Unido da Liberdade, Aparecida, A Grande Família, Vitória Régia e Vila da Barra).

Ontem foi a vez da reunião entre a SEC e os dirigentes dos grupos A, B e C e Uesam. Do repasse delas também serão descontados R$ 31 mil para a infraestrutura do desfile que acontece dia 24. No Grupo A, o repasse total será de R$ 56 mil, ficando R$ 25 mil para cada agremiação. No B, totaliza-se R$ 46 mil, sendo R$ 15 mil do apoio financeiro para cada uma. No grupo C, cada escolas levará R$ 6 mil de um total de R$ 37 mil.

A Secretaria de Estado da Cultura deixa claro que as escolas precisam atender a todas as exigências do regulamento do desfile para poderem receber a verba, cujo repasse será feito após o Carnaval, em forma de prêmio.

“Pretendo realizar o pagamento em forma de prêmio, via inscrição em edital publicado pela Secretaria de Cultura, com valor viabilizado pela Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural. Vou aguardar a decisão do governador”, declarou o secretário.

Ele destacou que a SEC estuda aderir ao Edital da Prefeitura de Manaus para o evento. “Estamos analisando todos os trâmites legais para essa adesão ao edital municipal, mas a regra geral continuará a mesma: as escolas não deverão ter nenhum impedimento legal, e toda a documentação deverá ser entregue no prazo que especificaremos. As agremiações que tiverem alguma pendência com o Governo ou a Secretaria de Cultura, não poderão receber a verba”, afirmou.

Prazo final para apoio do Município

As agremiações e escolas de samba dos grupos Especial, “A”, “B” e “C”,que desejarem concorrer ao Edital nº 01/2017 de apoio ao desfile do Carnaval 2017 aberto pela Fundação Municipal de Cultura,  Turismo e Eventos (Manauscult) têm até hoje para a apresentação de propostas. A documentação deve ser entregue no protocolo do órgão das 8h às 14h.
Os recursos destinados ao Apoio do Desfile das Escolas de Samba serão de R$ 1.537.995, sendo esse valor dividido entre as quatro categorias: Grupo Especial, com até R$ 99.582 por agremiação; Grupo “A”, com até R$ 60.856; Grupo “B”, com até R$ 38.727 e Grupo “C”, com até R$ 16.597 por escola de samba.

Publicidade
Publicidade