Publicidade
Carnaval
CARNAVAL

Estreante no grupo especial, Vila da Barra 'brinca' com o fruto proibido

Presidente da escola destacou as fantasias como pontos altos da apresentação, que encerrou os desfiles do Carnaval 2017 26/02/2017 às 05:22 - Atualizado em 26/02/2017 às 06:33
Amanda Guimarães Manaus

A estreante do Grupo Especial, a Escola de Samba Vila da Barra, do bairro Compensa, entrou na avenida do samba de Manaus por volta das 5h18. A agremiação é a última a desfilar neste domingo (26). O desejo é ser campeã pela primeira vez na categoria. 

Com o enredo “Do proibido ao Sagrado: com a Vila desfrute o sabor do pecado”, a agremiação retrataou a figura da maçã desde a origem do pecado com Adão e Eva.

"Somos representante do bairro da Compensa. Então temos as melhores expectativas para esse desfile, pois antigamente a Vila da Barra não era vista. Hoje é. Estamos muitos felizes por mostrar que a Zona Oeste tem uma escola que chegou no Grupo Especial", disse o presidente Apollo Ferreira. 

Depois da apresentação,  Apollo Ferreira, destacou como  ponto alto do desfile as fantasias. "Fizemos o desfile em um tempo muito bom, pois nos preparamos muito. As nossas fantasias não foram qualquer coisa. Foram tecidos de alta qualidade. Para gente tem uma importância imensa tudo isso que aconteceu", disse.

Sobre o resultado do desfile do Grupo Especial, o presidente disse que estava nervoso. "O coração está acelerado. Temos consciência que faltas aconteceram, mas não tiramos o brilho da escola", completou.

O desfile

A escola desfilou com um total de 2.500 componentes, distribuídos em 21 alas, 2 carros alegóricos e 1 tripé, com dois intérpretes oficiais do samba-enredo: Marcinho da Villa e Nilson Júnior.

A comissão de frente da escola trouxe bruxas realizando maldições com maçãs. Já a primeira ala narrou a origem do pecado, por meio de árvores com frutos proibidos

O abre alas da escola contou a história de Adão e Eva no Jardim do Éden. Quando por engano da serpente, a mulher come o fruto do conhecimento e comete o pecado.

Os integrantes da bateria da escola usaram fantasias com as cores azul, prata e amarelo, representando o deus da mitologia nórdica, Odin, pai do Thor.

O segundo carro alegórico da Vila da Barra apresentou uma história tradicional de conto de fadas, quando a rainha má prepara uma maldição por meio de uma maçã para a Branca de Neve.

A última ala trouxe mulheres vestidas de rainha, anões e brancas de neves, além de apresentar a importância da maçã para a saúde na atualidade.

 

Publicidade
Publicidade