Publicidade
Carnaval
CARNAVAL 2017

Estreante no Grupo Especial, Vila da Barra quer falar sobre o pecado de uma forma divertida

Com 21 anos de desfile, escola de samba da Compensa vai fazer a sua estreia no grupo Especial falando sobre coisas pecaminosas, mas sem polemizar e abusando da alegria 05/02/2017 às 05:00
Show viladabarra
O enredo deste ano da Vila da Barra é “Do Proibido ao Sagrado: com a Vila desfrute o sabor do pecado”, e ela será a oitava e última pela ordem do desfile, entre 5h20 a 6h30, encerrando o desfile dos quatro grupos do Carnaval amazonense / Fotos: Aguilar Abecassis
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Estreante do Grupo Especial do Carnaval de Manaus, a escola de samba Vila da Barra, do bairro da Compensa, Zona Oeste, promete marcar seu início entre as grandes agremiações do Carnaval amazonense no desfile do próximo dia 25 no Sambódromo, com um desfile falando sobre coisas pecaminosas. Mas calma, pois não virão polêmicas, diz o presidente Apollo Ferreira. “Vamos fazer um desfile divertido, e não levar para o lado da polêmica. O Carnaval já está nesta situação, e não cabia mais polêmica. Queremos fazer é o público rir”, diz o dirigente.

O enredo deste ano é “Do Proibido ao Sagrado: com a Vila desfrute o sabor do pecado”, e ela será a oitava e última pela ordem do desfile, a se apresentar de 5h20 a 6h30, encerrando o desfile dos quatro grupos do Carnaval amazonense.

Fruto proibido

Com 21 anos de fundação, a escola foi a campeã do grupo de acesso no passado, e tem a onça, a “rainha da mata” como símbolo, mas, nesse Carnaval, outro elemento será bastante participativo em sua apresentação: a maçã, conhecida como “fruto proibido” desde os tempos de Adão e Eva no Paraíso do Éden.

“Vamos falar sobre vários aspectos da maçã, fazendo uma viagem começando lá pela época do fruto proibido até os dias de hoje, onde ajuda muito na saúde, o lado histórico dela. vamos falar, por exemplo, da maçã envenenada utilizada no conto da Branca de Neve”, diz o dirigente Apollo Ferreira.

A maçã será retratada em vários setores, sendo especificamente o segundo o que vai trazê-la mais em evidência, contando uma espécie de histórias em quadrinhos.

Raio-x

A Vila da Barra da Compensa vai desfilar com um total de 2.500 componentes, distribuídos em 21 alas e 3 carros alegóricos. Serão dois os intérpretes oficiais do samba-enredo: Marcinho da Viola e Nilson Júnior. 

O carnavalesco é Thiago Fartto, com direção de Carnaval de Toninho da Ciranda.

Os trabalhos de barracão vão começar durante esta semana, de acordo com o presidente, que tem as “melhores expectativas possíveis para a estreia” especial no Grupo Especial.

Um dos grandes trunfos que a Vila esperar contar é com a sua comunidade. E não apenas dos cerca de 40 mil moradores que a Compensa, sede da agremiação, tem. “Queremos apoio não só da Compensa, mas também dos moradores de bairros adjacentes como Glória, São Jorge e outros que frequentam a Vila da Barra”, relata Ferreira.

Sobre encerrar a programação de desfile das grandes, o dirigente comentou que, olhando estrategicamente, isso é bom. “Não é um horário bom, mas é melhor que abrir o desfile. Abrir o Carnaval para quem está estreando, como nós, é complicado pela estrutura que se tem de montar nesse sentido. Fechando, o povo que vai desfilar e prestigiar já vai estar lá”, argumenta ele, em meio ao corre-corre que é organizar a estreia da “caçulinha” do Grupo Especial do Carnaval amazonense nesta temporada.

Feijoada da Bateria

No próximo dia 12 a agremiação vai organizar a sua “Feijoada da Bateria”, para arrecadar recursos aos ritmistas. A atração especial será o Mestre Bruno Rocha, da grêmio recreativo Cacique de Ramos, do Rio de Janeiro. A entrada custa R$ 15 e contatos podem ser feitos com o próprio presidente Apollo Ferreira por meio do fone 99175-0201.

Dificuldades não desanimam a agremiação

Nem a crise financeira é capaz de  desanimar a caçulinha Vila da Barra, comenta Apollo Ferreira.

“A situação é complicada, e as mais prejudicadas são aquelas escolas que estão subindo e procurando estrutura, como a nossa. As agremiações que já estavam no Grupo Especial já contam com a estrutura de carro alegórico. No entanto, nada nos abate. Ficar sem os recursos do Governo do Estado foi um ‘tiro’ em nós, mas isso não nos desanima pois vamos fazer nosso Carnaval não como pretendíamos, mas vamos fazer”, destaca ele.

Os brincantes da Vila da Barra estão realizando seus ensaios às terças e sextas, de 20h às 22h, na quadra situada na avenida Brasil, Compensa.

Frase

“A crise afeta mais as escolas de samba como a nossa, que estão subindo. Mas isso não nos abate e vamos desfilar”.

Apollo Ferreira, presidente da Vila da Barra

Em números

2.500

É o número de brincantes que a Vila da Barra vai levar para o Sambódromo no desfile do próximo dia 25 de fevereiro pelo Grupo Especial das escolas de samba.

Publicidade
Publicidade