Quarta-feira, 15 de Julho de 2020
À moda antiga

Festival de Marchinhas e Banda do Jaraqui resgatam os antigos carnavais

Manifestação carnavalesca acontece dia 22, Sábado Gordo; festival de marchinhas antecede evento dia 15



bandadojaraqui3_CCE3327A-FE72-4E03-9F23-C7551F557A18.JPG Imagens da edição de ano passado da Banda do Jaraqui na Praça da Polícia / Foto: Divulgação
03/02/2020 às 14:51

Uma das manifestações carnavalescas mais originais e críticas do período momesco do Amazonas acontecerá no próximo dia 22: a tradicional Banda do Jaraqui, tendo como local o Café do Pina, na Praça Heliodoro Balbi (Praça da Polícia).

O evento, que vai para a sua 8ª edição, começa às 10h, com seus foliões indo pelas ruas do Centro comercial da cidade convidando as pessoas para o bloco propriamente dito, que se estenderá até por volta de 19h.



“Como não temos recursos financeiros, e nem visamos ganhar dinheiro, o que nos ‘paga’ é ver aqueles grupos de pessoas, a grande maioria famílias, que estão ali, casais, a velha guarda que gosta do Carnaval, onde as pessoas se cumprimentam e todos se conhecem. É ver velhos amigos. Teremos 50 mesas espalhadas pela praça para os nossos foliões sentarem e curtirem”, disse o jornalista Paulo Onofre, 63, que é organizador da banda e que, no evento, se fantasia de “Mascarado Fobó”, personagem conhecido do Carnaval de Óbidos (PA).

Ao centro, o jornalista Paulo Onofre, organizador do Festival de Marchinhas e da Banda do Jaraqui

“É o resgate do Carnaval de rua e das famílias”, acrescenta ele, figura identificada da folia amazonense. Outro evento bastante folclórico acontece dia 15: o Festival de Marchinhas da Banda do Jaraqui, que este ano chega à sua 6ª edição e será realizado no clube Ao Mirante, no bairro Santo Antônio, na Zona Oeste, a partir de 12h. O acesso à festa é mediante ingresso a R$ 15 que dá direito, também, a uma feijoada e um CD de marchinhas. 

Segundo Onofre, o Festival já acontece em Manaus há 7 anos e, em 2020, ele resolveu inovar levando o evento para Óbidos, em 11 de janeiro, e Iranduba quando, no último sábado, houve o 1º evento da cidade premiando os três primeiros colocados com RS 1.800.

Algumas letras das Marchinhas ironizam os políticos corruptos de todas as matizes. “Esse é um trabalho que considero didático porque tem a finalidade de conscientizar as pessoas, por meio da música, para as questões das políticas públicas e, quem sabe, alcançar nossos objetivos de forma mais eficaz, porque esse é um trabalho que não visa lucro, e nem aceitamos patrocínio de políticos corruptos. É um resgate que queremos fazer junto à população”, destaca Paulo Onofre.

Fantasia do “Mascarado Fobó”, que é popular no Pará e que em Manaus é encarnado por Paulo Onofre

Neste ano os eventos organizados pelo jornalista serão realizados em homenagem ao músico já-falecido Agnaldo do Samba, um dos maiores ícones do Carnaval e que emprestava sua voz para animar bandas e blocos de Carnaval e que comandava escolas de samba na avenida interpretando sambas-enredos.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.