Publicidade
Carnaval
Especiais

Garantido promove sua Ladainha como promessa feita por Lindolfo Monteverde décadas atrás

Para marcar os 50 anos do Festival Folclórico de Parintins, a agremiação promoveu, ainda, uma homenagem aos itens e brincantes que fizeram a história da nação vermelha e branca 24/06/2015 às 21:58
Show 1
A Ladainha é o pagamento da promessa de Lindolfo Monteverde para São João
Cinthia Guimarães Parintins (AM)

CONFIRA GALERIA DE IMAGENS

Torcedores do Boi Garantido realizaram nestea quarta-feira (24), às 18h, a tradicional Ladainha do bumbá vermelho e branco, uma missa rezada em latim, como fazem os brincantes desde o início do século passado após o fundador do boi, Lindolfo Monteverde, aos 18 anos, prometer fazer uma missa todo dia 24 de junho, dia do santo católico São João, e levar o Garantido às ruas depois de ser curado de uma grave enfermidade. 

O momento sagrado para os apaixonados pelo boi é conduzido por dona Maria do Carmo Monteverde, a única filha viva de Lindolfo, e a velha guarda da agremiação, com os comunitários do bairro do São José, reduto do Garantido.


Para marcar os 50 anos do Festival Folclórico de Parintins, a agremiação promoveu, ainda, uma homenagem aos itens e brincantes que fizeram a história da nação vermelha e branca.

Em seguida, o boi de pano, junto com a Batucada encarnada, itens a bordo de um carro de som e centenas de brincantes, sairám às ruas de Parintins para festejar e cumprir a promessa, sempre parando ao redor de várias fogueiras, acesas em homenagem ao dia.

Homenagens

O Garantido homenageou torcedores, dirigentes, brincantes e parceiros que ajudaram a construir o cinquentenário do bumbá com a comenda intitulada “50 Anos em Vida”. Cerca de 400 nomes receberam o título.

Segundo um dos membros da Comissão de Artes do Garantido, Mencius Melo, a intenção foi registrar a história do boi, sem entrar em juízo de valor. “É uma lista extensa, feita de suor, sonhos e lágrimas de pessoas que ajudaram a construir o Garantido”, destaca. “Na lista estão ex-dirigentes, ex-presidentes, ex-itens, ex-brincantes, gente do passado e do presente e até nomes curiosos porém, que tem algo de contributivo com o Garantido e, por isso, deve ser lembrado”, observa. “Nossa intenção é preservar a história e a memória do Garantido, isso é o que importa”, finalizou.

Dentre os homenageados está o primeiro presidente da então fundada Associação Folclórica Boi-Bumbá Garantido na década de 1980, Rui Mendes – conhecido folcloricamente como “Frasquinho de Veneno”, porque deixava os contrários com raiva, diante dos recursos que impetrava contra o adversário azul nos bastidores da disputa.


Também consta na lista seu irmão, Mestre Jair Mendes, inventor das alegorias no festival e torcedor declarado do Garantido. Outro homenageado é Zezinho Faria, dirigente ‘quase esquecido’ mas, que comandou os anos 1980 - a chamada “década de ouro”, onde o Garantido ganhou oito dos dez títulos disputados, inclusive o pentacampeonato.

Além deles estão os compositores Emerson Maia, Braulino Lima, Manoel Aporcino, Inaldo Medeiros, Paulinho Silva. O jornalista Fred Góes e o Clemilton Pinto também figuram na lista de homenageados. Os artistas plástico Wandir Santos, José Américo, Gudú, Sérgio Santos, Amarildo Teixeira e as folclóricas ‘comadres do Garantido’ também não podiam ficar de fora.

“Todos nós temos uma dívida de gratidão com quem ajudou o Garantido durante esses cinquenta anos. São homens e mulheres que fizeram e fazem parte desse cinquentenário. Não queremos e não vamos excluir ninguém”, declarou Adelson Albuquerque, presidente do boi Garantido. “Homenageá-los é a nossa forma de dizer muito obrigado”, enfatizou Albuquerque.

Publicidade
Publicidade