Publicidade
Carnaval
CARNAVAL

Grande Família celebra a própria história e os 36 anos do bairro São José

Homenagens ao ex-presidente Luizinho Andrade, falecido este ano, também marcaram a apresentação da escola da zona leste 26/02/2017 às 02:56 - Atualizado em 26/02/2017 às 06:35
Amanda Guimarães Manaus

Com homenagens para o ex-presidente Luizinho Andrade que faleceu este mês, a Escola de Samba Grande Família entrou na avenida do Sambódromo por volta das 2h50 da madrugada deste domingo (26) com clima de emoção. A escola entrou com atraso de seis minutos e fechou a apresentação com 69 minutos, a um do limite máximo.

No fim do desfile, o presidente disse que o ponto alto da apresentação foram os carros alegóricos sofisticados. "Tivemos um atraso, mas já tínhamos programado isso. Queríamos homenagear o Luizinho e conseguimos. A escola teve vários pontos altos. Um deles foi a roupagem diferente do carros alegóricos", disse. 

Ele também acredita que a Grande Família pode ser a nova campeã do Grupo Especial. "Agora vamos esperar a decisão dos jurados, mas estou com muita esperança", completou.

Homenagens

Durante o desfile a diretoria da agremiação utilizou adesivos com a foto de Luizinho. Na concentração, a bateria da escola também tocou o enredo do Carnaval do ano passado, "Paz no Trânsito", dirigido pelo Luizinho. 

Este ano a agremiação apostou em uma temática que homenageia também os 36 anos do bairro do São José e os 30 anos da escola, com o enredo “Grandes sonhos, Grande Família, Grande Circular... Meu São José, fonte viva de histórias e cultura popular”.

A Grande Família desfilou com cerca de 3.200 integrantes distribuídos em 21 alas. A poderosa bateria contava com 250 ritmistas sob o comando de três mestres de bateria: Julino, Patinha e Careca, com três carros alegóricos na avenida.

O desfile

A comissão de frente da escola levou a história do bairro São José com a presença dos jacundos que vendiam terra de forma ilegal e depois colocavam os documentos em baús com formigas. Já mestre sala e porta-bandeira com roupas típicas de gala, utilizou as cores verde e dourado, em homenagem aos 30 anos da escola.

A primeira ala da escola representava a benção de fundação do bairro do Papa João Paulo. O abre alas denominado como "Grandes Sonhos: São José - Uma combinação Binômica", contou a história das pessoas que foram morar no bairro São José por se localizar perto do Distrito Industrial, onde poderiam trabalhar. O carro levava bonecos com grandes ferramentas.

A segunda ala apresentava, por meio das tradicionais baianas, os igarapés do São José. As mulheres utilizaram roupas com cores azul e branca. Atrás do primeiro carro alegórico, um banner com a foto do Luizinho foi colocado em homenagem.

A terceira e quarta ala da escola representavam a esperança e a fé do povo ao Santo Padroeiro. Já a bateria da escola trazia a figuração dos operários da Zona Franca, com roupas de cavaleiros dourados.

O segundo carro alegórico da escola chamado de "Expresso da Alegria: Grande Circular - A passarela de Todo dia", representava o comércio no bairro do São José.

Por meio da décima segunda ala, a agremiação apresenta o serviço de transporte público da cidade, com apresentações dos nomes de bairros próximos ao bairro do São José.

O terceiro casal mestre-sala e porta-bandeira da Grande Família era formado por crianças, dando um toque especial à apresentação.

A última ala veio juntamente com o terceiro carro alegórico: "A Grande Família - A Escola do Povo", que trouxe para a avenida as cores vermelho, branco e dourado, homenageando os 30 anos de glória da escola.

 

Publicidade
Publicidade