Publicidade
Carnaval
FESTA DA BOA

Homenagem a Reginaldo Rossi embala foliões na 14ª edição do bloco Galo de Manaus

Segundo a organização do evento são esperadas mais de 100 mil pessoas; o cantor Reginaldo Rossi, considerado Rei do Brega,é o grande homenageado 13/02/2018 às 18:05 - Atualizado em 13/02/2018 às 20:42
Show galo de manaus
A edição deste ano ocorre no Sambódromo. Foto: Evandro Seixas
Larissa Cavalcante Manaus (AM)

O frevo tomou conta do Sambódromo ao lado de diversos outros ritmos nesta terça-feira gorda de Carnaval no bloco Galo de Manaus, uma dos mais tradicionais da cidade.

Com o tema “Mon Amour, Meu Bem, Meu Frevo”, uma homenagem ao cantor e compositor pernambucano Reginaldo Rossi, a 14ª edição da bloco saiu da Avenida das Torres para abrigar quatro palcos, uma tenda eletrônica, três trios, além de uma área VIP.

E os foliões extravasaram fantasiados com personagens como Mulher Maravilha, princesas da Disney, unicórnio e até os heróis da vida real como policial e bombeiro.

O professor Augusto Sales, 46, escolheu homenagear a cultura brasileira, especialmente a pernambucana, e foi fantasiado de frevo. “É inspirado em Olinda e a cultura pernambucana que tem muita alegria, vida e isso representa a alma do brasileiro, alegre, feliz e apesar das dificuldades permanece sempre superando esses obstáculos com otimismo”, disse.

Aproveitando que a temática indígena está em alta no Carnaval 2018 em todo o país, o vendedor Luan Alves, 26, contou com a ajuda de um amigo para elaborar a fantasia de índio. “Mesmo com as pessoas criticando nas redes sociais falando que essa fantasia é muito comum, eu elaborei com a ajuda de um amigo de São Paulo para nós homenagear e vim assim mesmo”, contou.

Mudanças para garantir a segurança do folião

De acordo com a organização do Galo, a mudança do local do bloco e a estrutura montada no Centro de Convenções visam garantir a segurança do público, evitando a entrada de armas, garrafas de vidro e espetos de churrasco. Ao todo, são esperadas mais de 100 mil pessoas.

A autônoma Elisandra Silva participa do Galo todos os anos com a família e aprovou as mudanças. “Aqui (Sambódromo) fica melhor, é mais fechado, é possível ter mais segurança e na hora de ir embora já temos estabelecido uma rota de saída, fuga”, diz.

Já o cabeleireiro Narcísio Silva prefere a antiga localização por conta da extensão da Avenida das Torres. “É maior, não tem dispersão evitando tantas brigas e o policiamento é constante”, avaliou.

Para administradora Juliana Bittencourt, a alteração ficou mais acessível facilitando o trajeto. “Aprovei e é bem melhor aqui. É fácil de chegar e ainda é o primeiro ano. Temos que curtir”, afirmou.

Fila

Para chegar ao Galo de Manaus, durante a tarde e início da noite, milhares de foliões precisaram esperar em uma longa fila que se estendia desde a entrada do Sambódromo, em frente à Delegacia Geral da Polícia Civil, até o cruzamento da Pedro Teixeira com a Constantino Nery, na Zona Centro-Sul de Manaus.

Segundo os participantes da festa, a fila se criou devido à demora no procedimento de revista feito durante a entrada no evento carnavalesco. A consultora em vendas, Keila Soares, foi uma das pessoas que esperou na longa fila.

“É uma falta de organização. Está demorando demais e a fila não anda.  É um desrespeito deixar a gente na chuva tem pessoas de todas as idades, inclusive, crianças”, disse.

Já a aposentada Raimunda Mendes esperava mais da organização do evento após a mudança do local da banda que saiu da Avenida das Torres para o Centro de Convenções. “Está uma porcaria. Esperávamos que por ser no Sambódromo seria mais organizado. Nem todo mundo está passando na revista, penso o seguinte ou tem fila para todo mundo ou não”, afirmou.

 

Publicidade
Publicidade