Publicidade
Carnaval
Especiais

Itens consagrados nas histórias dos bumbás de Parintins relembram suas trajetórias

Caprichoso e Garantido têm 100 anos de história e ao longo desse tempo alguns itens se tornaram lendas do Festival Folclórico de Parintins 27/06/2015 às 12:23
Show 1
Daniela Assayag é ex-Cunhã-Poranga do Caprichoso e atual apresentadora do programa “Manhã no Ar”. Paulinho Faria se aposentou como Apresentador do Garantido, mas as lembranças estão eternamente vivas
Kelly Melo, Cinthia Guimarães e Nathália Andrade Manaus (AM)

Há 14 anos longe dos palcos do Garantido, Paulo Alburquerque Faria, o “Paulinho Faria” foi eternizado pela nação vermelha como o “garotinho de ouro do Garantido”. Dono de 26 títulos, Paulinho Faria foi o único na história do Festival Folclórico de Parintins a defender dois itens (apresentador e levantador) ao mesmo tempo e vencer nos dois, na década de 90.

Atualmente, realiza algumas apresentações em casas de shows em Parintins. Mas um problema de saúde o fez se aposentar mais cedo da Arena. “Minha última participação foi em 2001. Tive que sair porque tive perda autiditiva, devido os desgastes na Arena, mas lembro com saudade daquela época”, contou. Ousado e irreverente, o menino de ouro do Garantido lembra que começou a carreira de apresentador na rádio parintinense Alvorada, quando ainda tinha apenas 13 anos. Ele foi ganhando espaço e no programa começou a provocar o Boi Contrário. A desenvoltura que demonstrava pelo rádio foi determinante para levá-lo ao tabladão e, posteriormente, ao Bumbódromo.

“Não tem como explicar como eu consegui realizar esses feitos. As coisas foram acontecendo, a rivalidade ficou mais acirrada e eu sempre procurava algo a mais para me destacar”, explica. Segundo o ex-apresentador, além das lembranças físicas que ele guarda até hoje em sua casa como fotos antigas, as endumentárias das apresentações e até áudios da época, Paulinho também guarda muitas lembranças na memória.

Eterna sinhazinha

“A política corre no sangue, nas veias”, diz a vereadora Vanessa Gonçalves, famosa por ter sido Sinhazinha do Boi Garantido durante sete anos consecutivos (2001 a 2007), mas também é conhecida na cidade por seguir a tradição familiar na política. Ela é filha, neta e sobrinha de destacados políticos do município de Parintins e ocupa desde 2009 uma cadeira na Câmara Municipal.

Eterna Sinhazinha do Garantido, Vanessa Gonçalves “evolui na câmara municipal”

Com a agremiação folclórica ela chegou a viajar fazendo apresentações por várias capitais brasileiras e também esteve na França. “O Garantido me abriu as portas. Se eu não fosse a Vanessa do Boi eu não estaria onde estou”.

Vanessa se orgulha de ter feito o item “aparecer mais” na arena do Bumbódromo. “Antes de mim, a sinhazinha era mais discreta. Consegui inovar, tanto no figurino quanto na evolução e na interação com a galera. Depois daí, todas as meninas passaram a querer ser sinhazinha. Antes só queriam ser a Cunhã-Poranga”, brinca. Graças à projeção adquirida no festival de Parintins, Vanessa seguiu a carreira política e hoje continua trabalhando em prol do Festival Folclórico.

Lembranças marcantes

Reconhecida como a Cunhã-Poranga mais marcante da história do Boi Caprichoso, a jornalista Daniela Assayag, hoje com 41 anos, conta que se sente orgulhosa por fazer parte dos 50 anos de Festival Folclórico. “O primeiro sentimento que eu tenho é de gratidão por ter participado da construção de uma história que orgulha todos os amazonenses, sem dúvida nenhuma. Este ano, para mim, não é importante somente pelo cinquentenário, mas também porque eu completo 30 anos de boi, comecei aos 11. É um ano cheio de simbolismo”, comentou.

O último ano em que Daniela se apresentou foi em 1995 e, 20 anos após ter deixado o item, ela se diz honrada em ter se tornado uma referência entre as personalidades que já passaram pelo Caprichoso, sendo reverenciada até mesmo por torcedores do Garantido. “Engraçado é que, nesta semana, assisti uma apresentação de boizinhos na escola da minha filha e vi uma garotinha dançando com os trejeitos de braços que eu fazia, na minha época. Fiquei muito emocionada, porque mesmo que a dança tenha mudado tanto de lá para cá, reconheci um legado meu naquela criança”, relatou Daniela.

Item aos 14 anos

Depois de construir uma história sem precedentes, defendendo três itens no Boi Caprichoso, Jeane Benoliel se tornou um ícone do bumbá azul e branco. Ela, que pisou na arena como item oficial pela primeira vez aos 14 anos, como Sinhazinha da Fazenda, em 1999, se emociona ao olhar para trás e ver a trajetória que construiu. “A minha história no boi foi de emoção e de gratidão porque tive a honra de passar pelo festival de uma forma tão linda e intensa. Era um sonho de criança que virou realidade e vou ter orgulho de contar tudo o que vivi e vou ter da minha filha. Fico satisfeita quando vejo que pude ajudar meu boi em momentos decisivos”, disse.

Jeane Beloniel defendeu, durante sua trajetória no Caprichoso, três itens

Jeane, que foi Sinhazinha, Cunhã-Poranga e Porta Estandarte, comenta que cada item tem sua particularidade e é lembrado com carinho por ela, por diferentes motivos. “Quando fui sinhazinha eu brincava de boi sem aquela carga de responsabilidade. Era uma menina e estava ali apenas para dançar com meu boizinho. Depois me tornei cunhã e passei a me apresentar com indumentária indígena, o que exigia mais cuidados com o corpo e um trabalho de expressão facial e corporal”.

Mas foi em 2012, quando se tornou Porta-Estandarte, que Jeane Benoliel assumiu seu maior desafio. “Faltando apenas quatro dias para a primeira noite do festival, estávamos sem o item de número 5. Recebi o chamado do meu Touro Negro e mergulhei no universo de Porta- Estandarte e, emocionalmente falando, foi esse o meu momento mais marcante no boi, porque eu não sabia que essa nação tinha tanto amor para me dar”.


Publicidade
Publicidade