Publicidade
Carnaval
Especiais

Itens individuais do Caprichoso aceleram os ensaios para que tudo saia perfeito na noite da festa

Há menos de dois meses para o festival, vale até ensaiar durante a madrugada 31/05/2015 às 18:45
Show 1
Há dois meses para o Festival Folclórico, Júnior Paulain recebeu o convite para assumir a apresentação do Caprichoso. Ano passado ele defendeu o item amo do boi
lorenna serrão ---

A menos de um mês para o Festival Folclórico de Parintins, quando completa 50 anos de história, para a primeira noite de apresentação os itens individuais dos bumbás começam a intensificar a preparação para o espetáculo. No Caprichoso, a rainha do folclore, Brena Dianná afirma que quando o mês de junho começa significa que chegou hora de mudar a rotina e, claro, de ensaiar ainda mais.

Aos 22 anos, a parintinense, que cursa o sexto ano de direito, defenderá o item pelo sétimo ano consecutivo. E para fazer bonito na arena e conquistar a nota 10 nas três apresentações, a futura advogada deixa o trabalho e os estudos de lado, pelo menos nesse período, e se dedica inteiramente ao boi azulado.

“Ser item do Caprichoso exige muita responsabilidade e dedicação. Conciliar os ensaios das coreografias da arena com estudo e trabalho é muito puxado. E para não ter nenhum problema, no mês de junho eu saio do estágio e só volto em julho, assim tenho mais tempo para me preparar para Parintins”, revela Brena – que ensaia quatro vezes por semana e três horas por dia.

A cunhã-poranga Maria Azedo, 26, irá evoluir na arena pelo nono ano. Formada em nutrição, ela cursa atualmente arquitetura e assim como Brena, está correndo contra o tempo. “Estou ensaiando três vezes por semana com o meu coreógrafo, cuidando e regrando minha alimentação, e malhando mais do que o normal porque é um treino diferenciando pro festival”, conta.

Sinhazinha do Caprichoso desde o ano passado, após cinco anos como porta-estandarte, Karyne Medeiros, 27, diz que defender esse item, apontado muitas vezes como o grande xodó do boi, é um verdadeiro desafio. E para que o calor e o peso do vestido não atrapalhem a evolução no bumbódromo, Karyne, que é fisioterapeuta, ensaia até de madrugada.

“Ser sinhazinha requer um pouco mais de ensaio e disposição. São muitos detalhes, tem um lado cênico, as roupas são extremamente apertadas e tem estrutura de ferro, além disso, ainda tem o calor excessivo da arena. É necessário ter um equilíbrio diferente. É um desafio, e para dar conta de tudo e evitar qualquer problema durante a evolução, preciso estar muito bem preparada. A menos de um mês, tenho ensaiado até de madrugada, porque é quando tenho tempo ”, afirmou.

Apresentador e o novo amo do boi azul

Faltava dois meses para o Festival de Paritins quando Júnior Paulain, 27, (que ano passado exerceu a função de amo do boi) voltou a ser o apresentador do Caprichoso, item que defendeu de 2005 a 2013. “Voltar a ser apresentador a poucos dias da primeira apresentação é uma responsabilidade muito grande que eu abracei com muita determinação. Consegui me liberar da faculdade e já estou em Parintins finalizando os textos, o roteiro, acompanhando a confecção das alegorias e também experimentando figurinos”, comentou.

E se o Júnior voltou para a função antiga, Edmundo Oran se prepara para encarar uma nova. Aos 28 anos, ele foi escolhido para ser o Amo do Boi, do Caprichoso.

“Estou ensaiando todos os dias, escrevendo versos e também fazendo uma preparação psicológica para que tudo aconteça da melhor forma possível na minha estreia”, comentou.

Surpresas

Há 29 anos Waldir Santana é o pajé oficial do Caprichoso. E aos 49 anos de idade se prepara para mais uma evolução. “Posso adiantar, que em 29 anos de arena, nunca tive alegorias e fantasias tão belas quanto as que estão sendo preparadas para as apresentações deste ano”, disse.

Publicidade
Publicidade