Terça-feira, 23 de Julho de 2019
Especiais

No Amazonas, segurança é reforçada mas presidente do TRE prevê tranquilidade na votação

A segurança está reforçada desde no Estado, com a chegada das tropas federais aos 18 municípios determinados pelo TSE. A Polícia Militar vai fiscalizar 199 locais de votação na capital e 1.018 no interior. Quem estiver carregando mochilas e bolsas poderá ser revistado



1.jpg Segundo Socorro Guedes, o AM tem 7,4 mil urnas à disposição. Desse total, 6,8 mil estão instaladas nos locais de votação e as 600 restantes serão usadas apenas em caso de emergência
26/10/2014 às 08:13

Com a disputa ao governo mais apertada do primeiro turno, com apenas 1.907 votos de diferença, os 2.226.891 eleitores do Amazonas decidem amanhã (26) entre o senador Eduardo Braga (PMDB), que teve 43,16% do total de votos, e José Melo (PROS), atual governador, que teve a preferência de 43,04% dos eleitores. O percentual de brancos e nulos no primeiro turno ficou em 8,3% e a abstenção chegou a 19,49%.

Eduardo Braga, 53 anos, foi governador do Amazonas por dois mandatos consecutivos, entre 2003 e 2010, quando foi eleito senador. Na carreira política, iniciada aos 21 anos, já foi vereador de Manaus, prefeito da capital amazonense, deputado estadual e deputado federal. Braga cancelou a agenda que teria hoje (25), de caminhada pela capital, para se recuperar de uma inflamação na garganta.

José Melo, 68 anos, foi eleito em 2010 vice-governador na chapa de Omar Aziz (PSD), que deixou o cargo este ano para concorrer ao Senado e foi eleito. Com isso, Melo ocupa atualmente o cargo de governador. Ele também já exerceu mandatos de deputado federal e estadual. Melo faz seu último ato da campanha hoje na zona rural de Manacapuru, município a 84 quilômetros ao sul da capital.

De acordo com a presidenta do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura, o estado tem 7,4 mil urnas à disposição. Desse total, 6,8 mil estão instaladas desde ontem nos locais de votação. As 600 restantes serão usadas apenas em caso de necessidade. No primeiro turno, apenas 22 urnas precisaram ser trocadas no estado.

“Tivemos as eleições mais tranquilas dos últimos tempos, apesar da votação para cinco cargos. Nós tínhamos cerca de 700 candidatos concorrendo. Agora, nós esperamos que seja bem mais [tranquilo]. Da parte da Justiça Eleitoral está tudo pronto e da população também, sabendo que vai às urnas votar apenas para dois cargos eletivos.”

A segurança está reforçada desde ontem no estado, com a chegada das tropas federais aos 18 municípios determinados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A Polícia Militar vai fiscalizar 199 locais de votação na capital e 1.018 no interior. Quem estiver carregando mochilas e bolsas poderá ser revistado. No primeiro turno, um artefato suspeito de ser explosivo foi encontrado em uma escola de Manaus.

Na região central da cidade, foi possível ver mais cabos eleitorais e placas nas ruas do que ontem, feriado de aniversário de 345 anos de Manaus, mas o clima é de tranquilidade. A fiscalização eleitoral apreendeu, desde julho, 7,2 mil cavaletes irregulares na cidade, 2.208 apenas no período do segundo turno. No total, foram 35 toneladas de material, que tem custo estimado de R$ 1 milhão.

Após o primeiro turno, o TRE-AM propôs uma ação penal contra os candidatos que sujaram a cidade espalhando grande quantidade de santinhos nas ruas, cuja limpeza custou R$ 300 mil aos cofres públicos. Foram recolhidas 7 toneladas de propaganda eleitoral feita no dia das eleições. A denúncia contra 57 candidatos a todos os cargos e três coligações também inclui crime ambiental.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.