Segunda-feira, 10 de Agosto de 2020
TRADIÇÃO

Os tripas que dão alma e alegria aos bonecos do nosso Carnaval de Manaus

Conheça os primos Arivaldo e Antônio Canizo, que não aparecem para o grande público, mas que encarnam dois dos principais símbolos da folia do Amazonas: respectivamente a Kamélia e a Jardineira



tripasdocarnaval1_832D9D06-0D8D-4F80-AF3D-892136A802AA.JPG Os primos Arivaldo e Antônio e Canizo: tripas da Jardineira e da Kamélia, dois símbolos do nosso Carnaval / Fotos: Euzivaldo Queiroz
01/02/2020 às 18:39

Você já parou pra pensar quem são aquelas pessoas que dão vida e encarnam os famosos bonecos gigantes que alegram milhões de pessoas todos os anos no nosso Carnaval, andando de um lado para o outro, saltitantes, serelepes? A CRÍTICA deu vez e voz a quem é a alma e garante a magia aos foliões amazonenses na festa do povo nas ruas, salões e bailes afora.

O microempresário de sistemas de segurança Arivaldo Menezes Canizo Filho, 22, herdou do pai, Arivaldo Canizo, a vocação de ser tripa de um dos bonecos mais importantes do Carnaval do Amazonas. É ele quem fica por baixo da famosa e folclórica Kamélia, que há mais de 80 anos mexe com o imaginário dos amantes do Carnaval no Olímpico Clube.



Seu pai foi tripa da boneca durante vários anos, e o amor pela função paralela foi crescendo em Arivaldo desde a infância, até chegar o momento em que passou a ser o “reserva”  substituto da gigantesca estrutura em 2007 e, em 2009, consagrado o titular da icônica “Negôna”, como a Kamélia é conhecida do grande público folião.

“Cresci no Olímpico e com a Kamélia. Antes de ser tripa eu era ritmista da bateria e meu pai trabalhava à frente da escola de samba Império da Kamélia. Um dia ele perguntou se eu me ‘garantia’ em ser tripa. Já em 2009 ele me passou a responsabildiade e estou desde lá. Herdar essa vocação do meu pai, que já tinha muitos anos no clube, é uma coisa muito importante foi a Kamélia é símbolo do Carnaval”, comentou ele.   

Para Arivaldo Canizo, ser tripa é “uma sensação muito boa apesar de você estar lá embaixo escondido; mas, quando você sai de lá de baixo, as pessoas mais velhas vêm te elogiar”. “Faço isso por amor à Kamélia e pelo nosso Carnaval”, arremata o tripa.

Renovação

O Carnaval não “espera” para se renovar no quesito tripa. É que o primo de Arivaldo, o estudante Antônio Canizo, de 15 anos de idade, estreou este ano como tripa da boneca Jardineira, no evento “A Chegada da Kamélia”, ocorrido no dia 4 de janeiro. Naquela oportunidade, ele dividiu a cena com Arivaldo que estava por baixo da Kamélia. Ambos deram um show à parte.

“O convite partiu do meu primo, pra mim ser reserva dele. E colocaram a Jardineira pra mim, e eu fui. Foi a minha primeira vez como tripa, e a sensação foi muito legal. Nunca havia passado por esse momento, mas fiquei feliz e estou começando a gostar”, disse o estudante do 1º ano do ensino Médio, de 1m75 de altura e morador próximo do Olímpico: do bairro Presidente Vargas, a popular Matinha, Zona Sul.

Segundo ele encarnar um dos “símbolos do Carnaval é uma honra muito grande”, com pessoas mais velhas olhando curiosas e querendo fotografar com ele. Detalhe: Antônio Canizo é evangélico, mas conta que não sofreu qualquer repreensão por ser tripa da Kamélia. “Recebi apoio lá na minha Igreja e na minha família com a minha mãe, que falou: ‘Vai, feliz!’”. “Quem sabe um dia não vou me divertir no Carnaval do Recife, que é bonito, não é mesmo? Com aquele pessoal todo se divertindo”, vislumbra o garoto.

Presidente

De acordo com o presidente do Olímpico Clube, Almério Botelho, a função de pessoas como Arivaldo seu primo Antônio são importantes para o Carnaval. “Quando você faz um trabalho remunerado pode dizer até que é bem feito, mas quando se faz por amor, se tem a absoluta certeza que ele será bem executado e bem feito. E hoje em dia o Arivaldo não é apenas o tripa da Kamélia, mas cuida da boneca, e esse vínculo de amor, respeito e consideração é importante”, disse o dirigente.

Cultura rica

É rica a cultura dos bonecos gigantes no Carnaval. Se nos bailes de salão do Olímpico é a Kamélia que se apresenta magnânima e neste ano recebeu a visita da clássica Jardineira no evento “Chegada da Kamélia”, no início de janeiro, em bandas como a da Independente da Confraria do Armando (Bica, que sai no dia 15 de fevereiro no famoso bar localizado na rua Dez de Julho, Centro Histórico),  eles ganham forma representando o português Armando Soeiro (já-falecido proprietário do estabelecimento) e a antiga frequentadora Petronilha.

Já em Pernambuco, por exemplo, eles invadem literalmente, e aos montes, as ruas de cidades como o Recife e Olinda. Tome festa com estruturas homenageando ícones como Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, Roberto Carlos, e o folclórico “Homem da Meia-Noite”.

Frase

"Cresci no Olímpico e cresci com a Kamélia. Faço isso (ser tripa) por amor à Kamélia e pelo nosso Carnaval”

Arivaldo Canizo, tripa da Kamélia

Olímpico Clube fará despedida da Kamélia

O suntuoso  salão de festas do Olímpico, conhecido como o “Clube dos Cinco Aros”, vai receber no próximo dia 25 de fevereiro, Terça-Feira Gorda de Carnaval, o retorno de uma das mais tradicionais festas da folia amazonense: a Despedida da Kamélia. É o que confirmou o presidente do Olímpico, Almério Botelho. Segundo ele, nos próximos dias será divulgado o valor dos ingressos para o evento.

 
A Kamélia recepcionou a Jardineira no dia último dia 4 no Olímpico Clube / Foto: Paulo André Nunes

“Depois de retornar ao seu salão, onde por anos reinou com a sua chegada, hoje a Kamélia retorna fazendo o grande baile de outrora, a sua despedida. É um avanço, um reconhecimento e um carinho imenso que toda a diretoria tem pela boneca, único símbolo vivo do nosso Carnaval e reconhecida pelo poder público através de leis. É o retorno dos bailes de salão”, disse ele.

Repórter de A Crítica

Carnaval 2020



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.