Sábado, 25 de Maio de 2019
LOUCURAS DE CARNAVAL

Carnaval faz folião querer vender até o carro para custear Festival de Marchinhas

Ex-assessor parlamentar Paulo Onofre, 60, pretende cobrir as despesas do 3º Festival de Marchinhas, no Ao Mirante Clube, com a venda do veículo. Evento acontece no próximo dia 28



21/01/2017 às 05:00

A paixão pelo Carnaval faz as pessoas tomarem decisões que extrapolam os limites do habitual. É o que está fazendo o ex-assessor parlamentar Paulo Onofre, 60, que decidiu vender seu carro, um modelo Corsa 2015, para custear as despesas de realização do 3º Festival de Marchinhas, evento carnavalesco previsto para acontecer no próximo dia 28 no Ao Mirante Clube, em Santo Antônio, e que antecede a 4ª Banda do Jaraqui marcada para 18 de fevereiro na rua José Paranaguá, ao lado da Praça Heliodoro Balbi (Praça da Polícia, no Centro).

O Festival terá oito marchinhas finalistas que ridicularizam os políticos corruptos, informa o organizador, e o realizador conta que as despesas do evento estão orçadas em torno de RS 6.000,00 entre pagamento de prêmios, estúdio, banda para acompanhar os cantores no festival e a gravação de 500 CDs que serão distribuídos gratuitamente.

As oito marchinhas concorrem a prêmios em dinheiro, com a primeira colocada levando R$ 1 mil, a segunda R$ 500 e a terceira R$ 300. Ano passado, em situação bem mais confortável que essa, a organização pagou R$ 2 mil, R$ 1000 e R$ 500 aos três primeiros, respectivamente, a título de estímulo para a participação das pessoas.

“As dificuldades para cobrir as despesas são imensas. Vou ter que vender o meu carro para fazer o Festival. Como assumi a responsabilidade de organizar o 3º Festival de Marchinha da Banda do Jaraqui, se necessário for terei que vender meu carro para cobrir as despesas. Vou andar de ônibus novamente, mas quero demonstrar a minha indignação. Não sou daqueles que fazem de conta que está indignado e a coisa fica somente na conversa”, esbraveja ele.

Paulo Onofre visitou cerca de 20 pessoas conhecidas levando com ele um “livro de ouro”, onde eles deveriam assinar e contribuir com qualquer valor. No entanto, pouco foi arrecadado até agora, diz ele. “Quase sempre tenho recebido uma resposta negativa. As pessoas parecem que não entenderam que o Festival é uma forma que encontrei de satirizar e do povo manifestar a sua insatisfação com nosso governantes corruptos, e em alguns casos até ridicularizar os políticos salafrários. O  que se sinto, por parte das pessoas que visitei é uma verdadeira apatia, vivemos uma situação terrível em nosso Estado; um desgoverno total e a população parece que vive às margens desses acontecimentos”, explica.

Além da provável venda do veículo, outra saída para ele seria contrair um empréstimo dando o carro como garantia.

Mas uma coisa é certa, diz Paulo Onofre: o evento vai acontecer a qualquer custo. “Vou realizar o festival, pois sou um cidadão indignado com roubalheira que está acontecendo, os caras estão metendo a mão cheia nos cofres públicos”, comenta ele, contando que há cerca de um mês passou por uma cirurgia de hérnia.

Os interessados em ajudar a realização do Festival de Marchinhas podem entrar em contato com Paulo Onofre pelos fones 99469-0169 e 99615-1175.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.