Publicidade
Carnaval
Especiais

Parintinenses preparados para receber turistas que vão prestigiar apresentações dos bumbás

Alegria de servir bem o turista: Vale tudo para conquistar a confiança e simpatia, com boa recepção, comidas típicas regionais e atenção 25/06/2015 às 15:10
Show 1
Elene Faria e sua família aposta nas frutas e iguairias típicas da região e faz de tudo para o turista se sentir à vontade, como se estivesse em casa
NAthália Andrade Parintins (AM)

“A sala de visita do parintinense é a cozinha”. A frase da dona de casa Elene Faria, 52, define com precisão o motivo pelo qual, mesmo estando longe da terra natal, os visitantes que desembarcam na Ilha Tupinambarana conseguem se sentir em casa.

Além da simplicidade e alegria natas de quem nasce e vive na terra do Boi Bumbá, a hospitalidade é uma característica que envolve visitantes e conterrâneos. Em Parintins, chegar na casa de alguém, mesmo sem avisar, é motivo para ficar para um café ou mesmo para sentar-se à mesa do almoço, sem nenhuma cerimônia. E lá se vão horas de boa conversa e “causos”.

Tapioquinha, tucumã, queijo de manteiga, banana frita, macaxeira, beiju, leite de gado e outras iguarias típicas da região costumam compor a mesa das famílias parintinenses, que não pensam duas vezes antes de servir o que têm de melhor em casa.

“Nosso povo é alegre, receptivo e tem prazer em receber amigos, família ou mesmo visitantes em casa. Somos da terra de Garantido e Caprichoso, mas nessa hora não existe rivalidade, e sim hospitalidade”, declarou Elene Faria.

Com tantas delícias, fica difícil definir uma unanimidade entre as pessoas quem vem de fora e conhecem a culinária parintinense no período do Festival Folclórico. “Geralmente o que os visitantes gostam muito é o pão com tucumã, ou apenas o tucumã descascado, não tem como resistir.

Acredito que a combinação entre as iguarias da nossa gastronomia, aliadas à boa vontade que as pessoas daqui têm em servir bem é o que faz todo mundo querer voltar a Parintins.”, enfatizou a dona de casa.

ALMOÇO FARTO

Para a empresária Solara Dias, 42, receber os amigos em casa é sinônimo de um cardápio extenso, tipicamente regional. “Nossa casa é de frente para o rio e tem uma presença muito forte na natureza. É uma herança do meu pai e nada melhor do que a gente dar continuidade a essa preciosidade e celebrar esse cenário incrível recebendo os amigos”, considerou.


Solara Dias afirma que serve cardápio tipicamente regional para conquistar os turistas pelo estômago

Como boa parintinense, ela afirma que almoço bom é almoço com peixes regionais. “A culinária local é riquíssima! No almoço de hoje, por exemplo, estamos servindo tambaqui assado, pato no tucupi, bodó no tucupi, vatapá e pitiú criado em viveiro, que é uma espécie de tracajá em tamanho menor. Aqui a gente reúne os amigos, fala bobagem, ri, brinca e come bastante (risos)”, brincou Solara.

Nos almoços da família, a mesa está sempre sortida, mas a empresária confessa que sua preferência é pelo tradicional pato no tucupi.

“Na verdade tudo o que é preparado no nosso tucupi fica uma delícia, mas o pato é irresistível. Mas os visitantes que experimentam as delícias da terra preferem os peixes regionais, como o bodó e o tambaqui, que não podem faltar quando recebemos as pessoas em casa. Para o parintinense, o que vale mesmo é estar reunido com quem se gosta, passar bons momentos, contar e ouvir histórias interessantes e apreciar o que a natureza nos oferece, se deliciando com a gastronomia”, concluiu a parintinense. 

Publicidade
Publicidade