Publicidade
Carnaval
Especiais

Pela primeira vez na história o Peladão tem um time só de estrangeiros

O Clube Desportivo Peruano, comandado pelo técnico Lachi, vem empolgado para a estreia na competição ciente de que vai enfrentar clubes de “peso” 04/09/2015 às 16:10
Show 1
Equipe treina firme e forte toda semana no campo do Sul América
EQUIPE PELADÃO 2015 Manaus (AM)

Pela primeira vez na história do Peladão, um time estrangeiro vai participar da maior competição de peladas do mundo. O Clube Desportivo Peruano, comandado pelo técnico Lachi, vem empolgado para a estreia na competição ciente de que vai enfrentar clubes de “peso”.

Para garantir o bom rendimento e desempenho do time, os boleiros peruanos (e um brasileiro) contam com as técnicas e habilidades de ex-atletas que jogaram as 1ª e 2ª divisão, além do futebol amador no Peru, como os irmãos Fernando e Juan Villalobos, David Infante, Gabriel Sanches, dentre outros.

Há 15 anos morando fora de sua terra natal, Chiclayo (PER), o jogador e também assistente técnico do time, Fernando Villalobos conta que recebeu convites para jogar no Peladão por outros clubes amazonenses, mas a vontade de colocar um clube representando seu País falou mais alto. “Eu percebi que aqui em Manaus tem muitos peruanos, fiz uns contatos, olhei a ficha técnica deles e comecei a montar a equipe. Foram quatro meses de preparação do plantel até chegar nessa equipe”, explicou Villalobos, ao acrescentar que parte do elenco está em Manaus há quatro meses e há um treina com os craques no campo do Sul América.

Amazonense na equipe

Natural da terra do Boi-Bumbá, Júnior Parintins é o único brasileiro na equipe peruana. “Para mim é felicidade. Tenho uma amizade grande e aprendi a gostar da cultura deles. É um privilégio jogar no time porque são pessoas que gostam do esporte. Apesar de todas as dificuldades eles têm muita garra”, destacou Parintins ao ressaltar que a camisa do time será uma réplica da seleção peruana.

Novos ‘guerreiros’

Apesar do Clube Desportivo Peruano debutar no Peladão neste ano, Fernando Villalobos ressalta que pretende montar novas equipes peruanas (e de outros países da América do Sul) para a disputa da competição no próximo ano e em 2017. Ele garante que o Master e a categoria Feminina, formados por peruanos, colombianos e chilenos estarão prontos. Ele também pretende montar uma equipe infantil composta por filhos de peruanos que moram em Manaus.

Empolgados e tendo como referência o ícone do futebol peruano e craque do Flamengo, Paolo Guerrero, Villalobos destaca que confia no potencial de seus jogadores e elogia a todos. “Não temos um jogador melhor que outro, todos são bons em suas posições. Antigamente os clubes peruanos viravam matéria de time sem importância. Agora é diferente, temos um grande jogador renomado (Paolo Guerrero) e a nossa Seleção ficou em terceiro lugar na Copa América deste ano”, frisou.

Vencer dentro e fora de campo


O Clube Desportivo Peruano jogará o Peladão Brahma 2015 com a camisa que faz alusão à seleção peruana. A maioria dos jogadores reside em Manaus há alguns anos e outra parte está na cidade há quatro meses, visando, além de novas oportunidades, vencer na vida e ganhar visibilidade no maior campeonato de peladas do mundo.

A preparação do elenco e os treinos acontecem no campo do Sul América, no bairro da Glória, Zona Oeste. De todo o plantel do CDP apenas um brasileiro integra a equipe estreante no maior campeonato do mundo.

Milhares em Manaus

O assistente técnico do Clube Desportivo Peruano (CDP), Fernando Villalobos mora em Manaus há 15 anos. Ele afirma que há aproximadamente 3 mil peruanos morando na cidade, onde eles têm como reduto a parte central da cidade.

Mesmo morando distante de sua terra natal, a raiz da cultura peruana, seus costumes, comidas típidas, religião e danças estão presentes e incorporados na rotina deles na cidade. No último dia 29 de agosto, aconteceu as festividades em honra a Santa Rosa de Lima, padroeira da América Latina e do Peru.

A rainha do CDP, Geraldine Naveda, dançou as danças típicas do Peru com suas vestimentas latinas.

Comum nas zona de serra peruana, a dança da tesousa também se destacou durante as apresentações das danças típicas. Dois adversários duelavam e cada competidor realizava todos os tipos de acrobacias, acompanhados por movimentos com as mãos, utilizando uma tesoura.

Durante os festejos, os peruanos puderam matar a saudade da culinária típica da região, comendo ‘arroz con pollo’; ‘cebiche de mariscos cozidos’; ‘arroz com pato’; ‘sopa crioula’, ‘papa guisada con cuy’, entre outros.

Belíssima que vem de Iquitos

Nascida na cidade de Iquitos (PER), a candidada à rainha do Peladão 2015 representando o Clube Desportivo Peruano (CDP) é Geraldine Naveda, 22. Entre idas e vindas, ela mora em Manaus há quatros e se orgulha em defender a única equipe estrangeira no campeonato.

“Para mim é um orgulho muito grande, principalmente porque vou defender o meu país”, destacou Geraldine.

Experiente no mundo das passarelas, a musa do CDP tem na bagagem desfiles de concurso de beleza disputado em Iquitos e o convite para participar do Peladão partiu de um dos seus irmãos, o também jogador Charly Renjifo.

Atualmente ela dá aulas de dança peruana, como salsa e reggaetón - mistura das influências da Jamaica com os ritmos latinos (bomba e plena) e americanos (rip hop e rap).

A torcida para ela vencer o concurso de rainhas do Peladão inicia com os parentes e amigos que vivem no Peru. “A minha expectativa é muito boa. A equipe está torcendo para eu ganhar”, finalizou.

Publicidade
Publicidade