Publicidade
Carnaval
Especiais

Peladão 2015: em atividade há dez anos, Caça Barca largou as noitadas para encontrar Deus

Jogadores estão focados no título e ansiosos para levantar a taça de campeão, tudo porque o time vem empolgado pela boa fase nos campeonatos que participam no Bairro da União e pela adesão de atletas convertidos 30/10/2015 às 09:52
Show 1
No começo a ideia pareceu não combinar com futebol, mas hoje tudo faz sentido
EQUIPE PELADÃO 2015 ---

Criado em 1999 com o objetivo inicial de reunir jogadores que gostavam das “baladas” e outras “barcas”, hoje em dia os boleiros do Caça Barca buscam, por meio do esporte, união e fé, transmitir para a equipe a palavra de Deus e, assim, tocar o coração deles a cada jogo. No Peladão Brahma 2015 os jogadores estão focados no título e ansiosos para levantar a taça de campeão, tudo porque o time vem empolgado pela boa fase nos campeonatos que participam no Bairro da União e a adesão de alguns atletas convertidos para o time.

Atual Campeão da Copa da Paz, onde reúne os maiores times do futebol amador, o agora Caça Barca União e Fé acumula no currículo oito títulos no Bairro da União. Um dos fundadores e jogador do time, Ivo Helison, conta que em 2005 eles participaram pela primeira vez do Peladão e nesses 10 anos o time foi amadurecendo a cada ano. “Na época, criamos uma equipe competitiva para disputar o Peladão. A ideia era vencer. Hoje somos uma das maiores equipes do futebol amador”, declarou.

As barcas na noitada e festas ficaram para trás há cinco anos quando Deus tocou no seu coração. “Quando entrei para a igreja a ideia era acabar com tudo, pois não tinha nada a ver: festas, bebidas... aí Deus tocou no meu coração para evangelizar os amigos do time. Continuamos com a equipe, agora com outro propósito”, explica.

O Caça Barca tirou da logo a taça de cerveja e o escudo da Fé e o nome União e Fé. Desde então Ivo evangeliza o time dentro e fora do campo. Antes de cada jogo ele, com a Bíblia nas mãos, ele lê uma passagem bíblica aos atletas e faz uma reflexão sobre o assunto. No início ele pensava que a maioria dos jogadores iriam sair do time, mas a aceitação foi tão grande que até nas redes sociais o time bomba nas curtidas.

A base da equipe para o Peladão Brahma é formada por jogadores que jogam as categorias de base do Nacional, São Raimundo e Sul América, além de alguns boleiros rodados nos campeonatos de bairro, com média de idade entre 18 e 20 anos. Segundo Ivo, muitos jogadores procuram o time querendo fugir das drogas e bebidas e o clube ajuda com o trabalho social e psicológico. Na véspera dos jogos acontece um culto pedindo bênçãos de Deus para que tudo dê certo e não ocorra violência em campo.

Em 2013 o Caça Barca União e Fé ficou entre os 16 no Peladão, perdendo por 1 a 0 para o Amigos do Tonho, vice campeão na época. Neste ano, o time já disputou cinco jogos, vencendo três partidas, empatando uma e perdendo outra, se classificando direto para o segundo perde-sai.

Monstro abençoado

Prata da casa, o goleiro Jhanson da Silva Oliveira começou no Caça Barca desde a primeira formação se destacando em várias partidas até despertar interesse de outros clubes, como o Manaus Moderna, em 2007. Naquele ano ele fez um jogo memorável diante do Jamba, na fase do perde-sai, quando defendeu cinco pênaltis e se tornou o herói da partida no episódio no qual ele ficou conhecido como Jhanson, o “Monstro”.

Mesmo jogando pelo Manaus Moderna, ele defendia o time usando a camisa do time que o revelou: o Caça Barça. Em 2010 ele conquistou o primeiro título do Peladão pelo Manaus Moderna. Mas cansado das barcas e festas, se converteu e virou evangélico em abril deste ano. “Estava decidido a parar de jogar para evitar estar em barca, coisas erradas. Então reencontro Ivo e o projeto com o propósito de levar o nome do Senhor. O resultado é o menos importante. O plano principal é pregar o evangelho e levar um pouco da Palavra. Claro que queremos vencer, mas com foco em Cristo me sinto feliz”, confessou.

Blog: “Ivo Helison, jogador e um dos fundadores do time

Em 1999 eu e um grupo de amigos resolvemos nos reunir e discutir estratégias de como montar um time para disputar o campeonato do Bairro da União. Como ainda não havia um consenso, resolvemos procurar um bar para conversar e escolher o nome do time. Um outro amigo passou e disse: ‘vocês estão caçando bar?’ Como o filme dos ‘Caça Fantasmas’ estava no auge e vivíamos nas baladas, resolvemos colocar o nome do time de Caça Barca.

Publicidade
Publicidade