Publicidade
Carnaval
CARNAVAL

Penúltima escola a desfilar, Vitória Régia cobra justiça em enredo atualíssimo

“Olhos vendados, mãos firmes: a verde e rosa clama por justiça” é o tema da escola de samba do bairro Praça 14 de Janeiro 25/02/2017 às 05:00 - Atualizado em 25/02/2017 às 14:53
Show vitoriaregia2017
Assim como no ano passado a Vitória Régia quer surpreender o público / Fotos: Euzivaldo Queiroz
Paulo André Nunes Manaus (AM)

A Vitória Régia  será a penúltima a desfilar, de 4h às 5h10, e traz o enredo “Olhos vendados, mãos firmes: a verde e rosa clama por justiça”. O artista plástico Diogo Pinheiro, em seu segundo ano à frente das alegorias da escola, destaca que “a escola vem mais forte que ano passado, apesar de toda a dificuldade graças a Deus; conversamos muito sobre a parte da reciclagem e criatividade em face da crise, como substituir, por exemplo, espelhos por CDs”.

Mais antiga escola de samba de Manaus, com 41 anos de uma bela história, a Vitória Régia traz como enredo para este ano de 2017 um dos temas mais atuais das agremiações de todo o País. Ela vai mostrar a visão sobre o momento atual do Brasil, que passa por uma das maiores crises de sua história não apenas no segmento econômico, mas também na segurança, o foco crucial de questionamento da Verde e Rosa para este Carnaval - ela será a 7ª a desfilar pelo Grupo Especial no dia 25 de fevereiro no Sambódromo, no horário de 4h às 5h10.

“Na visão do nosso carnavalesco, o Brasil passa por um momento onde o povo clama por justiça em todos os setores, e a gente vê que esse enredo é uma forma de desabafo. A Vitória Régia vai homenagear toda a classe jurídica também, mas trazemos um enredo onde o povo pede justiça por tudo o que está acontecendo em todas as esferas. A população quer justiça em esferas como nessa questão da Operação Lava-Jato e outras que ocorrem aqui e alí. E há também essas rebeliões que estão acontecendo e às quais a Justiça deveria tomar providências, pois há um monte de presos que nem deveriam estar presos nas cadeias pois geram rebeliões. É o nosso estudo em cima do que é Justiça”, comentou Rivaldo Pereira, diretor de eventos da escola da Praça 14 de Janeiro.

Ele destaca que, além de cobrar Justiça para o Brasil, a Vitória Régia também vai elogiar e destacar grandes nomes do Judiciário, como juízes, advogados e promotores que fazem seu trabalho com dignidade. “É um tema atual e um momento certo para desenvolver esse enredo”, ressalta Pereira.

A Vitória Régia mantém seu intérprete Prince da Verde e Rosa para ser a voz da escola e liderar, com sua ala musical, um batalhão de 3 mil componentes apaixonados. A agremiação vai levar 25 alas para o desfile do dia 25 no Sambódromo, em três carros alegóricos concebidos sob a genialidade do carnavalesco Júnior Thompson com direção de Carnaval de Darlan Braga, ex-presidente da agremiação da Zona Sul.

Um total de 100 baianas vão desfilar com beleza e graça na avenida, dando o tom da tradição de um dos bairros mais antigos da capital amazonense. A bateria virá com 300 ritmistas. A comissão de frente promete uma grande inovação neste ano e cuja surpresa está guardada a sete chaves. E, apesar da crise, os trabalhos no barracão já estão a todo vapor.

Ordem do desfile

1º - Sem Compromisso: 20h – 21h10
2º - Andanças de Ciganos: 21h20 – 22h30
3º - Unidos do Alvorada: 22h40 – 23h50
4º - Reino Unido: 0h – 1h10
5º - Aparecida: 1h20 – 2h30 
6º - A Grande Família:  2h40 – 3h50
7º - Vitória Régia: 4h – 5h10
8º - Vila da Barra: 5h20 – 6h30

Publicidade
Publicidade