Quarta-feira, 01 de Abril de 2020
PROMESSA PAGA

Presidente da Primos da Ilha avalia desfile: 'maravilhoso'

Escola abriu as apresentações no Sambódromo com homenagem a São Jorge, promessa feita no Carnaval do ano passado



WhatsApp_Image_2020-02-22_at_21.36.17_729C541E-5EC4-419D-974A-463556A12040.jpeg (Foto: Eraldo Lopes)
22/02/2020 às 21:43

Levando para a avenida o tema 'A Promessa - Da Capadócia aos Tambores Africanos, Salve Jorge!', a Primos da Ilha concluiu seu desfile, que abriu a noite de apresentações no Sambódromo,  com exatas 1h06.

A presidente da agremiação, Rejeane Araújo, desfilou atrás da ultima ala carregando uma estátua de São Jorge. Ela diz que o ato foi uma forma de pagar a promessa feita no ano passado e avaliou positivamente a performance da agremiação este ano.



QUAL A ESCOLA QUE BALANÇOU SEU CORAÇÃO EM 2020? CLIQUE AQUI E VOTE NO ESTANDARTE DA TORCIDA

Foi muita luta, muito choro, muitas reuniões, muito planejamento e tudo isso valeu a pena. Nós tivemos uma semana de provação, mas no final conseguimos cumprir nossa promessa e fizemos um desfile maravilhoso", diz ela

A APRESENTAÇÃO

Nem mesmo a chuva que assolava o Sambódromo de Manaus na noite deste sábado (21) pode conter a euforia dos brincantes do Grêmio Recreativo Primos da Ilha, agremiação que abriu o desfile das escolas de samba de Manaus 2020. Levando para a avenida o tema “A Promessa - Da Capadócia aos Tambores Africanos, Salve Jorge!”, a escola do bairro São Francisco apresentou a história de um dos santos mais populares do cristianismo e de religiões de matriz africana.

O desfile, que estava previsto para iniciar pontualmente às 20h, teve início apenas às 20h20. O atraso de vinte minutos, de acordo com fiscais de cronometragem, se deu pelas condições climáticas e não acarretará punição à escola.Este ano a agremiação traz quinze alas divididas em três setores. O primeiro deles, intitulado “Jorge, a fé e fidelidade do filho da Capadócia”, abriu a apresentação com a comissão de frente junto à ala das baianas dando passagem para a primeira alegoria “A Fé e Fidelidade de Jorge”.

Embalado pela bateria, a segunda alegoria entrou na avenida por volta das 20h40. Batizada de “O Sincretismo dos Tambores Africanos”, o carro representa o panteão do Candomblé, com seus orixás reverenciados pelo sincretismo religioso, sendo Ogum e São Jorge.

De acordo com o diretor de barracão da Primos da Ilha, Otávio Muniz, a ideia de homenagear São Jorge este ano na avenida surgiu de uma promessa feita pela presidente da agremiação, Rejane Araujo, durante o desfile do ano passado.

“Ano passado a chuva estava muito intensa e estávamos preocupados. A nossa presidente fez uma promessa a São Jorge de que se a chuva parasse nós homenagearíamos ele este ano e foi o que aconteceu”, explica Otávio, que aproveita para ressaltar o otimismo com o desfile apresentado. “Estamos muito confiantes esse ano. Foi um trabalho muito bem feito e as expectativas são altas”, diz.

A terceira e última alegoria entrou na avenida com pouco mais de 30 minutos de apresentação. Guiado pela ala “Promessas”, trazendo os brincantes rodeando a Cruz de São Jorge, o carro batizado de “O Andor - A Promessa” trouxe devotos do santo que cumprem a promessa e fazem uma verdadeira procissão no Sambódromo.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.