Publicidade
Carnaval
Amor à vida

Projeto Santa Bola aproxima PM e população em prol de formação de atletas e cidadãos

Desenvolvendo o futsal para garotos de 5 a 17 anos da comunidade, a iniciativa começou em 2013 no Santa Etelvina e prosperou ao passo de atingir, em 2014, o conjunto Viver Melhor, na quadra de esportes da Escola Estadual Senador Evandro Carreira (CMPM VI), que é mantida pela PM 24/10/2016 às 06:00
Show santabola1
No total, 437 crianças e adolescentes do sexo masculino estão matriculadas nos dois núcleos de atuação, no Santa Etenvina e Conjunto Viver Melhor / Fotos: Evandro Seixas
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Um importante projeto social desenvolvido em duas áreas bastante populosas da Zona Norte da cidade está trazendo dois grandes benefícios direta e indiretamente a quem participa deles. Denominado de “Santa Bola”, a iniciativa, criada e coordenada pela 26ª Companhia Interativa Comunitaria (Cicom) da Polícia Militar do Estado (PMAM) está ajudando a aproximar cada vez mais a PM dos moradores e, por conseguinte, tentando formar atletas e cidadãos de bem.

O projeto Santa Bola tem esse nome por ter começado seu primeiro núcleo, em 2013, iniciando sob o comando do major PM Emerson, então comandante da 26ª Cicom, e do subcomandante Wagner Alves (atual comandante) no CCA de Santa Etelvina, bairro que tem uma população aproximada de 80 mil habitantes. Desenvolvendo o futsal para garotos de 5 a 17 anos da comunidade, a iniciativa prosperou ao passo de atingir, em 2014, o conjunto Viver Melhor, na quadra de esportes da Escola Estadual Senador Evandro Carreira (CMPM VI), que é mantida pela PM.

A atividade é ministrada pelos professores André de Lima, Leandro Fontes e Cristiano Moreira, de segunda a sexta de 17h às 21h30 (na faixa etária de 5 aos 12 anos de 17h às 19h30 e de 13 aos 17 no horário de 19h30 às 21h30), informa o tenente PM Diego Paiva, coordenador do projeto.

Os condomínios do Viver reúnem 55 mil pessoas, segundos dados da 26ª Cicom. No total, 437 crianças e adolescentes do sexo masculino estão matriculadas nos dois núcleos de atuação.

Para o PM, a iniciativa significa a valorização da vida dos moradores daquela área da cidade. “Com certeza esse projeto representa o amor pela vida das pessoas. Nós percebemos uma grande interação com os pais juntamente com os instrutores do projeto acompanhando, de 2013 para cá, a formação das crianças. Estamos retirando várias crianças das ruas. O que o Santa Bola dá a mais, o que ele proporciona às crianças, é um acompanhamento escolar, onde bimestralmente acompanhamos os boletims delas ou por meio de reuniões com os pais, onde avaliamos o desempenho dessas crianças tanto no projeto quanto em casa”.

“O objetivo principal do projeto é retiras diversas crianças carentes daqui do Viver Melhor e do Santa Etelvina da ociosidade. Há diversas crianças carentes que precisam de ajuda nos dois núcleos. E a ajuda que eles tiveram é do projeto Santa Bola”, reforça o coordenador.

O combate à criminalidade é outra principal preocupação do projeto, conta o tenente. “Através do Santa Bola nós conseguimos um apoio intenso dos pais, conseguindo entrar literalmente na casa dos participantes e participar na formação das crianças e adolescentes. Sempre passamos para eles que seria muito bom se saísse daqui um jogador, um craque de futebol, mas a nossa missão é formar o cidadão, fazer com que saía uma criança, um adolescente para se inserir no mercado de trabalho, que daqui a 10 anos entre numa faculdade de Direito, de Engenharia, e porquê não se tornar um policial militar. Esse é o foco: formar para a vida”, detalha o oficial da PM, agradecendo o apoio do Shopping ViaNorte, Açaí Transportes, e das comunitárias Nara Núbia, Aninha e Isabel.

O policial comentou que, hoje, a Polícia Militar é uma entidade moderna, que tem por objetivo a comunidade, interagir com ela, trazer a comunidade para as próprias ações da PM, “mostrando que existe uma relação sadia com a PM e a Civil; Queremos mostrar para os pais dessas crianças e adolescentes que podemos vencer com uma relação sadia entre polícia e comunidade”.

Exemplo de amor

De acordo com o capitão PM Wagner Alves, comandante da 26ª Cicom, o Projeto Santa Bola tem importância ímpar para a comunidade do Santa Etelvina e Viver Melhor. “Só no Viver Melhor existem mais de 55 mil pessoas. E desse percentual boa parte são de crianças e adolescentes que estavam com seu tempo não sendo empregado em atividades recreativas, ou educacional. Então nós, buscando interação com a comunidade, com as  famílias do Viver Melhor e do Santa Etelvina, fomos utilizando o projeto Santa Bola como forma de desporto, mas ao mesmo tempo de interação entre polícia, sociedade e comunidade”, exemplifica ele.

O comandante disse que o projeto Santa Bola é um exemplo de  demonstração de amor entre comunitários e os órgãos de segurança. “Nós procuramos quebrar aquele paradigma de que polícia e comunidade não podem andar juntos como água e óleo. Nós procuramos o oposto disso, Somos parte de uma única sociedade. Tanto o policial, quanto a comunidade, têm anseios por segurança, por melhorias em sua comunidade. O policial vem das comunidade, e não de ‘Marte’, como a gente diz entre aspas. E a forma de mostrar que temos as mesmas características das pessoas é fazendo isso: interagindo com eles, principalmente através das crianças. Quando se alcança elas, se alcança os pais, que vem nos acompanhar por causa delas. É exemplo que a polícia pode, sim, andar de mãos dadas com a comunidade”, salienta o capitão PM Wagner Alves.

Pais destacam positivamente a iniciativa

Os pais que matricularam filhos no projeto falaram positivamente da iniciativa da PM. É o caso do microempresário Darlison Gama, 36, pai dos garotos Carlisson Augusto, 11, e José Vinícius, de 9, que estao há aproximadamente 1 ano no projeto.

“Pra mim o projeto incentivou meus filhos, que melhoraram nos estudos. Eu falei pra eles que se não estudassem, não participariam. O mundo do crime está aí, você está vendo como é, e eu so tenho a agradecer ao projeto Santa Bola na pessoa dos professores André e Leandro, e do tenente Paiva “, comenta ele, que é técnico das equipes PSG e Unidos do Futsal, ambos do Viver Melhor,e que disputam a Copinha Santa Bola.     

Crianças como Kauá Bayer (sem “n”)  da Rocha, de 5 anos, estão há 1 ano no projeto e ensaiando seus primeiros passos rumo ao mundo do futebol.  “Sou atacante e gosto muito daqui do projeto. Admiro o Cristiano Ronaldo e quero ser jogador de futebol”, destaca o menino, que estava acompanhado dos pais Diego Lima e Maria Nely .

Passeio

Na Semana das Crianças, o projeto Santa Bola realizou mais uma atividade cultural. Dessa vez, em parceria com o Shopping Via Norte, Clube dos Oficiais e o grupo formado pelas esposas dos oficiais da Polícia Militar do Estado do Amazonas (PMAM), denominado “Cristais em Ação”, os pequenos participaram de um passeio com direito à banho de piscina, lanche e distribuição de brindes. Durante a confraternização, o Via Norte realizou a doação de bolas ao projeto.

Publicidade
Publicidade