Publicidade
Carnaval
Especiais

Sob o tema ‘Amazônia’, boi Caprichoso se supera na 1ª noite do Festival Folclórico

A 1ª alegoria do boi trazia dois módulos que surpreenderam o público ao “caminharem” pela arena do Bumbódromo 01/07/2015 às 11:04
Show 1
Caprichoso em sua primeira noite no Festival de Parintins
Laynna Feitoza Parintins, AM

A palavra de ordem para o Boi Caprichoso em sua 1ª noite de apresentação no 50º Festival Folclórico de Parintins é superação. Mesmo com alguns contratempos, como chuva e afins, o bumbá continuou a apresentação no Bumbódromo de Parintins até o fim. A haste que carregava a Sinhazinha da Fazenda para a arena, Karyne Medeiros, ameaçou ceder no início de sua apresentação, mas a moça conseguiu chegar ilesa ao chão e completar com louvor a sua coreografia.  

A primeira alegoria do boi azul trazia dois módulos: um mapinguari – criatura defensora da floresta que possui um olho na testa e uma boca na barriga que abrigava uma serpente – e uma espécie de homem-lagarto. Os dois módulos simularam o que seria uma caminhada pela arena, levando a torcida ao delírio. Em seguida, os membros da Marujada de Guerra entraram pelas laterais com os membros de mãos dadas. Ao redor da alegoria central jacarés, onças, tamanduás, macacos e outros bichos representavam a fauna.

Entoada pelo levantador de toadas David Assayag, a primeira toada do boi azul foi “Boi Brasileiro”. A alegoria que trazia a lenda do Bicho Folharal logo surpreendeu. Enquanto o Bicho saía da árvore gigante em que se encontrava, em sua cabeça vinha hasteada a cunhã-poranga Maria Azêdo, que cada vez mais ia sendo elevada aos céus enquanto a entidade saia da árvore. Após o item atingir certa altura, a entidade começou a flutuar sobre a arena iluminada pelas cores azul e branca, até pousar no chão e deixar Azêdo no Bumbódromo.

Adversidades vencidas

Após a entrada do novo amo do boi, Edmundo Oran, entrou uma alegoria em forma de barco, que em sua parte inferior trazia o que parecia, inicialmente, ser uma índia. Logo depois, uma parte da barca se deslocou de seu comprimento e revelou uma sereia, que trouxe logo em seguida a Sinhazinha, Karyne Medeiros. Enquanto descia, a haste que trazia o item ficou levemente presa à cabeça da sereia da alegoria, fazendo com que a moça quase caísse. Porém, a haste foi desprendida do empecilho e Karyne pôde continuar sua apresentação na arena. Em seguida, ela foi ovacionada no local.

O momento-chave do espetáculo ocorreu quando um boi Caprichoso gigante chegou suspendido sobre a arena, cujas bordas vinham decoradas por fitas coloridas. De dentro da alegoria saiu a Rainha do Folclore, Brena Dianná, para sua evolução na arena. Em sentido paralelo à entrada do boi gigante no Bumbódromo, se aproximava das arquibancadas uma brilhante estrela prateada, que carregava a versão original do bumbá azul. Por volta de 1h de apresentação do Caprichoso começou a chover, mas o boi prosseguiu com sua apresentação na arena. 

Saiba mais

O vice-presidente do bumbá azul, Rossy Amoedo, afirmou em entrevista à TV A CRÍTICA que a agremiação folclórica irá solicitar a anulação da noite, em virtude da forte chuva que ocorreu durante a apresentação do touro negro. Se a solicitação for acatada, tanto a apresentação do Caprichoso quanto a do Garantido terão suas pontuações reiniciadas. 

Publicidade
Publicidade