Publicidade
Carnaval
Especiais

Triciclos são forma divertida de passear por Parintins

Cada viagem custa de R$ 5 a R$ 10, dependendo da distância do centro da cidade, onde os condutores se aglomeram em busca de uma corrida 29/06/2015 às 11:17
Show 1
Triciclos estão por todos os lugares da cidade
Cinthia Guimarães Parintins (AM)

Um meio de transporte alternativo faz a diversão e facilita a vida do turista que vem a Parintins: o triciclo. Cada viagem custa de R$ 5 a R$ 10, dependendo da distância do centro da cidade, onde os condutores se aglomeram em busca de uma corrida.

Mas fora do festival, as bicicletas com bagageiro são guardadas no quintal dos seus donos ou servem para fazer pequenos serviços na cidade, só voltando à ativa na última semana do mês de junho.

Os triciclistas, como são chamados os condutores dos veículos, usam da criatividade para enfeitar os triciclos com as cores azul e vermelha para atrair passageiros, que sempre fazem uma pausa para a registrar o momento. Eles chegam a faturar até R$ 150 transportando turistas pela cidade, como uma forma de complementar a renda mensal daqueles que exercem diversos serviços de auxiliares no dia a dia de Parintins.

Manoel Pereira da Silva é carpinteiro e pedreiro e na semana do Festival Folclórico de Parintins tenta faturar de R$ 50 a R$ 70 por dia como triciclista. “Nossa cidade é devagar de emprego. Não tem uma firma boa para se trabalhar. Então a gente faz isso pra ganhar uns trocados a mais”, diz.


Todo dinheiro é válido par ao pescador Elifaz Souza Pontes, 29 anos, que começa a trabalhar com o triciclo às 8h manhã e vai até o fim da noite. “Dá pra tirar uns R$ 50 a R$ 60 por dia. Tem que aproveitar o boi para ter nosso ganha-pão, porque depois do festival morre todo o movimento”. Elifaz acredita que a classe precisa se organizar para evitar problemas como roubos que são praticado aos turistas por algumas pessoas má intencionas.


Zózimo Alfaia Gomes, de 21 anos diz faturar até R$ 150 diários trabalhando com o transporte alternativo, o que dá para ajudar no orçamento dele, que exerce a atividade de ferreiro. Fora do festival, o triciclo é usado pelo irmão para transporte de pequenas cargas na cidade.


Publicidade
Publicidade