Publicidade
Carnaval
Especiais

Vozes das agremiações, puxadores de enredo contam suas experiências no Carnaval

Fundamentais para as escolas de samba na avenida, os intérpretes dos sambas-enredo, também conhecidos como puxadores, ditam o ritmo das agremiações 04/02/2016 às 16:58
Show 1
O experiente Gallo (braço levantado) falou sobre a importância dos cantores de apoio na avenida
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Eles são a voz das escolas de samba, tendo a grande responsabilidade, junto com seu pessoal de apoio da equipe musical, de cantar o samba-enredo que vai embalar os componentes e o público em geral. Estamos falando dos puxadores das escolas de samba que, com o “gogó afiado”, ditam o ritmo do desfile das suas agremiações.

Prestes a fazer 50 anos de idade - amanhã -, o popular Agnaldo do Samba, puxador da Andanças de Ciganos, está no mundo da folia há 35 deles. Especificamente como puxador, iniciou em 1984, no Bloco da Getúlio Vargas, e passou por escolas de samba como Aparecida e Sem Compromisso, entre outras. Ex-ritmista da Sem Compromisso, foi nessa agremiação que ele entrou para a história do Carnaval amazonense. ao interpretar sambas-enredos clássicos “Hotel Cassina (1983) e “Joana Galante” (1986), que até hoje são lembrados como ícones.

Há três anos na Andanças, ele vê com expectativa positiva o desfile deste ano. “A escola está praticamente pronta e nossa expectativa é muito boa em relação ao trabalho que foi feito pelo nosso presidente, Vilson Benayon”, destaca ele, dizendo ser indiferente puxar o samba-enredo à noite, de madrugada ou pela manhã - a Andanças vai desfilar a partir de 5h20 de domingo.

AUZIER

Auzier de Souza, 41, também é uma figura conhecida do samba amazonense, sendo percurssionista e voz do grupo Auzier e Banda Faixa Nobre. Ele tem grande identificação com o Carnaval, principalmente pela passagem que teve na Vitória Régia, sua escola do coração, como puxador oficial durante 20 anos.

No total, são 28 anos de sambas-enredos e 29 de carreira. Hoje, ele defende primorosamente o microfone da Unidos do Alvorada e aproveita para, em tom de brincadeira, desafiar os outros puxadores das escolas co-irmãs: “Os outros intérpretes precisam de muita sorte para tentar ganhar o Estandarte do Povo de A CRÍTICA, pois ele já e meu”, brincou.

GALLO

Raimundo Nonato Lima, o Gallo, de 46 anos, está completando 33 no samba. Atual apoio da escola de samba Sem Compromisso (o intérprete oficial é o vereador Arlindo Jr.), ele sempre atuou nessa função, que é primordial para qualquer agremiação. “Nós, músicos apoiadores das escolas, temos vital importância, pois auxiliamos os intérpretes oficiais nos momentos em que ele faz os cacos (momento em que o puxador oficial precisar respirar e dá ‘alôs’ para a presidência da agremiação, bateria, patrono, etc). As pessoas podem até achar fácil, mas cantar um samba na avenida é cansativo e falta fôlego”, destaca ele, que passou 20 anos na Reino Unido da Liberdade.

Publicidade
Publicidade