Publicidade
Esportes
INEDITISMO

1ª Volta do Amazonas traz novos desafios aos ciclistas amazonenses

Competição acontecerá nos dias 12, 13 e 14 de outubro, com três provas diferentes, na Cidade Universitária. 30/09/2018 às 15:14 - Atualizado em 01/10/2018 às 15:08
Show trio ciclismo capa 7bbbe004 2a05 4a65 8af7 4be5114f4135
Fotos: Antônio Lima/ A crítica
Jéssica Santos Manaus - AM

A 1ª Volta do Amazonas promete movimentar o ciclismo no Estado com um tipo de competição inédito por aqui. Voltas ciclísticas são provas de estrada realizadas em etapas. Realizada pela Federação de ciclismo do Amazonas (Feciclam), ela valerá também como a 6ª e última Etapa do Campeonato amazonense de Ciclismo, e vai acontecer nos dias 12, 13 e 14 de outubro, no circuito da chamada Cidade universitária e na Rodovia Manoel Urbano (AM 070), com largada e chegada na Cidade universitária. Mas além do formato desafiador da competição, com três provas diferentes em três dias (contrarrelógio, circuito e resistência), a Volta do Amazonas também vai oferecer 4 mil reais em prêmios e brindes para os campeões das categorias Pro, Sênior e Feminino da prova de resistência. Caso haja mais de 100 inscritos, haverá também duas metas no percurso valendo 200 reais de prêmio cada uma. Tudo isso para motivar os ciclistas amazonenses a participar.

Nayme Muniz (Equipe Açaí Futuro) começou a pedalar sete anos atrás, quando decidiu que queria subir ao pódio na conhecida corrida ciclística Alvorada, na sua cidade natal, Parintins. Ela treinou um ano, subiu ao pódio e não parou mais. “Alcancei meu objetivo e estou pedalando até hoje”, disse ela. Nayme, aliás, está treinando mais do que nunca. Líder do ranking amazonense feminino, ela quer garantir o lugar mais alto do pódio na Volta do Amazonas, já que foi campeã da Volta de Roraima no ano passado e terceiro lugar no Norte-nordeste.

“É uma disputa de três dias seguidos e acho bem interessante porque cada dia é diferente do outro. No primeiro dia, é você contra si mesma no contrarrelógio, buscando fazer força pra chegar no menor tempo possível; no segundo dia, é uma prova rápida de circuito; e no terceiro dia é resistência, tem que treinar bastante tempo em cima da bike pra esse tipo de prova”, ressalta.

Nayme vive em Manaus desde 2012, trabalha, mas o foco é o sucesso no esporte, então ela vai de bike pro trabalho. “Saio no fim da tarde e vou treinar com os meninos, participo de bolões, e mesmo que alguns colegas digam que é perigoso, sei que é bom pra eu evoluir”, disse.

Renato Louro (GMJ/MEC) é atual líder do ranking amazonense Máster B2. Ele, assim como a maioria dos ciclistas amazonenses estão acostumados a participar da Volta ciclística de Roraima e também do Norte-nordeste, que acontece no mesmo formato, mas conta que está animado por Manaus sediar pela primeira vez uma Volta. “Acho ótimo porque é um estímulo para resgatar o ciclismo no Amazonas e também trazer pessoas de fora do Estado pra participar porque assim o ciclismo local acaba crescendo”, ressalta. Renato está apostando nos dois primeiros dias da competição pra levar a prova. “Sou forte no contrarrelógio e no circuito, levando em conta, é claro, o tipo de circuito, se é veloz, então vou tentar pontuar ao máximo nessas provas”, disse.

Ezequiel Lima, o “Boca”, começou praticando bicicross, mas hoje faz várias modalidades (bicicross, estrada e mountain bike),  e tem treinado bastante para terminar o ano como líder do ranking Máster A2 do Circuito amazonense. “Tô com o preparo físico muito bom, preparado para a Volta, mas também tô um pouco ansioso porque vai ser a primeira vez que vai ter uma competição assim aqui. Estamos acostumados a participar dessas provas em outros lugares, mas aqui terá um sabor especial”, disse.

Destaque na categoria principal

Bob Marley é um dos principais atletas da categoria elite do ciclismo amazonense. Ele conta que tem se preparado bastante para fechar o ano como campeão e com novas perspectivas.

“Essa é uma prova muito importante para os atletas do Amazonas, para elevar o nível dos atletas locais, porque assim podemos tentar uma colocação no pódio de competições ainda mais fortes, com atletas e fora”, disse ele.

Bob estava liderando o campeonato, por um problema caiu de posição, mas quer retornar. “Estava liderando, mas faltando uma semana pra última prova eu sofri uma queda e não pude participar”, disse.

De Manacapuru para o alto do pódio

Quem também tem se destacado é o jovem Ewerthon Coelho, sub 23, que tem 16 anos e pratica ciclismo há cinco. Ele vive em Manacapuru e disse que este ano tem sido bom, principalmente pela contribuição dos seus patrocinadores. “Tem sido um ano proveitoso porque meus patrocinadores me apoiam com as passagens”, disse.

Agora o foco é a Volta do Amazonas, e Ewerthon tem se preparado para vencer mais uma vez. “Vou tentar o possível para eu conseguir me colocar em primeiro lugar. Estou treinando muito para essa Volta, para fazer uma boa colocação nas etapas, principalmente na etapa de resistência e mostrar resultado para minha equipe”, destacou.

Programação

No dia 12 de outubro (feriado), às 15h, a Volta começa com a prova contrarrelógio, em que cada ciclista larga individualmente, e vence aquele que fizer o menor tempo ao final do percurso; no dia 13 de outubro, será realizada a prova de circuito (8km); e no dia 14, a prova de resistência. O campeão da Volta é aquele que somar mais pontos após a realização das três provas. As inscrições seguem abertas nas lojas Pedal e Cia, Ofice bike e Paulo Bike Service.

Publicidade
Publicidade