Publicidade
Esportes
2ª Copa Carybé

Evento de Capoeira acontece nesta sexta e sábado nas Zonas Sul e Oeste de Manaus

A abertura do evento será nesta sexta-feira (6), às 19h30, no Sinpol/AM; e no sábado, (7), o evento acontece em quatro categorias, no Centro de Educação de Tempo Integral (Ceti) Áurea Pinheiro Braga, na Compensa 05/01/2017 às 19:26 - Atualizado em 05/01/2017 às 19:49
Show cap2
Capoeiristas estão preparados para a primeira disputa do ano. (Foto: Antônio Lima/SEJEL)
ACritica.com* Manaus (AM)

A 2ª Copa Carybé de Capoeira reunirá aproximadamente 100 participantes, nos próximos dias 6 e 7 (sexta e sábado). Na sexta-feira, dia 06, acontece a abertura do evento às 19h30, no Sinpol AM, localizado na rua Filemon, 2,  Petrópolis, Zona Sul. No sábado, dia 07, é a vez da competição acontecer no Ceti Áurea Braga, na avenida Brasil, s/n, Compensa, Zona Oeste, das 9h às 17h. 

Na sexta, a abertura será marcada por duas apresentações: do Clube da Polícia Civil e do Bairro Petrópolis e, logo após, haverá um seminário com o mestre Cobrinha, que vem diretamente de São Paulo para repassar conhecimentos aos capoeiristas da "terrinha baré". A palestra vai abordar a “Vivência de Capoeira Angola”.

Capoeiristas treinam movimentos para a disputa. (Foto: Antônio Lima/SEJEL)

No sábado, será a vez dos capoeiristas colocarem em prática toda a beleza e ginga da modalidade na  Copa Carybé, com a disputa em quatro categorias: Infantil, Aluno, Graduados e Absoluto. A competição será nos naipes masculino e feminino, e vai ser de forma individual.

Segundo o organizador do evento, Paulo Rossy, conhecido como "Professor Escoteiro", serão avaliados alguns quesitos na competição, que vão ser julgados por jurados. Entre a avaliação, estará o melhor movimento, o condicionamento físico, o ritmo, a Benguela (jogo técnico), e o São Bento Grande (parte marcial da capoeira). Cada apresentação poderá ter dois ritmos, constituídos de um minuto cada.

“Vai ser uma honra ter o mestre Cobrinha aqui, ainda mais com o seminário e ele ainda vai ficar para prestigiar a Copa. Esta competição, inclusive, tem forte apelo da modalidade e visa não somente a competitividade, mas também cativar novos adeptos e levar conhecimento deste esporte às pessoas. A capoeira é uma modalidade simples e bonita e que encanta quem a conhece. Antes de iniciar as disputas no sábado, porém, a partir das nove horas teremos uma peça teatral ‘O Índio Chora’ com capoeiristas e uma apresentação do Boi Garantido”, destacou Paulo.

Ainda de acordo com Paulo, um dos favoritos ao título é professor Sindeco, que em 2016 venceu a Absoluto. Até ano passado, a premiação principal era medalha e troféu. Neste ano será em forma de cinturão, no estilo de eventos de MMA. Na banca julgadora, são esperados nomes importantes da modalidade, como do Mestre Vander Araújo, Pililim, mineiro que por mais de 20 anos populariza o esporte no Estado e já levou o nome do Amazonas aos quatros cantos do mundo através do esporte.

“Os jurados são profissionais e criteriosos, como o Pililim. É necessário ter conhecimento de jogo para vencer e o Sindeco promete dar trabalho, apesar de a gente ter muita gente boa e que quer ganhar a Copa. O conselho é ter calma e disciplina para se sair bem”, afirmou.

Além da disputa, às 16h do sábado, o evento ainda vai celebrar o batizado e a troca de cordas de alguns capoeiristas. Logo após, será feita uma homenagem ao Mestre Kaká, um dos mais consagrados do Amazonas e do País, que contabiliza 43 anos de carreira dedicados ao esporte.

Pessoas de todas as idades podem praticar capoeira. (Foto: Antônio Lima).

 

Inscrições

Aqueles que desejarem participar da Copa, as inscrições seguem até meia hora antes do início do evento e basta levar RG. O valor é de R$ 60 e quem garantir vaga com antecedência, até a tarde de sexta, ainda poderá participar do seminário, e ganha camisa e lanche. A inscrição também pode ser feita pelo (92) 99523 2876.

A disputa deste esporte que envolve luta, dança e musicalidade recebe apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado, de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

Carybé

A Copa faz homenagem a Hector Julio Páride Bernabó, que levava o nome artístico de Carybé, que foi um pintor, gravador, desenhista, ilustrador, ceramista, escultor, muralista, pesquisador, historiador e jornalista. Ele era argentino, brasileiro naturalizado, e residente no Brasil desde 1949 até sua morte.

Desde de 1950, quando definitivamente escolheu Salvador como endereço, Carybé interessou-se especialmente pela religiosidade e pelos costumes locais e também pelo cotidiano de pessoas humildes, como pescadores, vendedores ambulantes, capoeiristas e lavadeiras, temas constantes em sua produção.

Ele ficou famoso entre os capoeiristas por sempre valorizar a modalidade e fazer da sua arte uma expressão da modalidade. A arte da capoeira ficou eternizada através de suas pinturas.

*Com informações da assessoria

 

Publicidade
Publicidade