Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019
CAMPEONATO

2º Rio-Nal da história do futebol feminino ocorre nesta quinta (7) pelo Barezão

Clássico acontece no estádio Ismael Benigno, às 20h e pode decidir a vida das equipes no campeonato



zCR0207-01R_8E858005-D33D-48B6-BD86-2D9AF8169B03.jpg Foto: Divulgação/Nacional
07/11/2019 às 09:01

Confronto dos ‘vovôs’ do futebol baré, o clássico Rio-Nal acontecerá apenas pela segunda vez na história do futebol feminino. O primeiro embate entre as guerreiras dos tradicionais times manauaras aconteceu em 2007 pelo Campeonato Amazonense e teve o Rio Negro como vencedor. 

Passados 12 anos desde o último encontro, agora as Leoas enfrentam as Barrigas Pretas nesta quinta-feira (7), pela sexta rodada do Barezão Feminino, às 20h, no estádio Ismael Benigno, a saudosa Colina.



Leão vem Faminto  

O Naça, atualmente na sexta colocação da tabela, corre atrás apenas da sua segunda vitória no campeonato. As Leoas  acumulam   três derrotas em quatro jogos disputados e pretendem reencontrar o caminho dos triunfos  no clássico Rio-Nal. 

“Vamos firmes e fortes. Com o time completo pra sair de campo com vitória e conseguir nosso objetivo que é classificar”, disse Karen, camisa 10 do Nacional que volta de suspensão após cartão vermelho diante do Iranduba na terceira rodada do Estadual. 

Na hora ‘h’

Na última partida do Nacional, diante do 3B, as Leoas sofreram goleada por 5 a 0 e Karen cumpria seu ‘gancho’. Agora, com a presença da camisa 10, o time ganha mais experiência e equilíbrio. Ela comentou o sentimento de estar voltando justamente num dos clássicos de maior tradição baré e numa situação nada confortável na tabela da competição. 

“Clássico é clássico sempre é bom jogar um. Nervosas estamos agora, depois que tocar na bola isso passa. Treinamos muito esses dias então nosso foco é vencer”, afirmou a meio-campista de 31 anos, que é uma das grandes esperanças de gol nacionalino na partida. 

Sabendo da necessidade de somar pontos, para sair da vice-lanterna e manter a esperança de classificação à semi-final do Barezão, Karen analisou a importância do jogo. 

“A pressão sempre vai existir, ainda mais que elas vão vir pra cima também. O Nacional está bem treinado pra sair de campo com a vitória. Nosso foco é vencer, vamos jogar sabendo que temos que ganhar. É tudo ou nada, vamos pra cima”, declarou a experiente jogadora, que também atua nos campos do Peladão pela equipe do  Grêmio do Parque 10. 

Galo Desanimado

Do outro lado, o Rio Negro, que também vem de derrota, para o 3B, também de goleada (a maior até agora no campeonato, por 14 a 1), está na quarta colocação do Barezão e já acumula a segunda derrota seguida.

A técnica do Galo, Iara Catunda, comentou que está tentando trabalhar o psicológico de suas jogadoras diante do placar cruel da última partida. 

“A gente está tentando tirar delas a pressão que o último jogo trouxe, pra gente focar apenas nesse confronto com o Nacional”, disse a treinadora, que estreou no cargo justamente na fatídica goleada. 

A vitória contra o Nacional pode deixar o Galo com um ‘pé’ na semifinal, já que o time acumulurá nove pontos e seria ultrapassado apenas por uma vitória do Clipper diante do 3B, na última rodada. 

“Muito mais que treino físico e tático, o que vai contar nesse jogo é o psicológico delas. Estamos vivas na competição. Se ganharmos, temos boas chances de classificar”, concluiu a jovem comandante do Rio Negro.

News whatsapp image 2019 06 21 at 16.12.51 7cbfadd4 8d2b 47cf a09e 336b83276e71
Repórter de A CRÍTICA

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.