Publicidade
Esportes
Vida nova

Agora com a camisa do Princesa, Leonardo busca o acesso com o time de Manacapuru

No Tubarão do Norte, o 'Índio Negro' promete fazer história 11/06/2016 às 15:22 - Atualizado em 11/06/2016 às 16:54
Show 1093805
Atacante diz ter pensado bem antes de fechar com o maior rival do Naça. (Foto: Evandro Seixas)
Thaissa Cordeiro Manaus-AM

Do azul para o vermelho. Calma, não estamos falando do Festival Folclório de Parintins! Não é um texto sobre Caprichoso e Garantido. Quem saiu do azul para o vermelho foi o atacante Leonardo, o Índio Negro, que agora quer marcar seu nome no vermelho do Princesa do Solimões. E a caminhada do Tubarão na Série D  começa neste domingo (12), às 15h30, contra o Baré-RR, no Gilbertão, em Manacapuru.

Foi no Leão da Vila que  Leonardo ganhou o carinhoso apelido de  ‘Índio Negro”, dado pela   torcida nacionalina. Isso porque ele comemorava seus gols imitando uma flechada de um índio. Mas será que agora, vestindo as cores do Princesa, a comemoração vai continuar?  

“As pessoas atrelam minha comemoração ao Nacional, mas não, a flechada é pelo povo amazonense, pelo fim do preconceito, aqui. Vamos repetir a comemoração. Espero dar muitas flechadas pelo Princesa. Mas também Michell Parintins gosta de fazer umas comemorações irreverentes, vou treinar com ele (risos)”, brincou Leonardo.

RETORNO

Leonardo falou sobre a sua volta ao futebol amazonense após ser dispensado pela diretoria do Nacional em 2015, antes da Série D. 

“Estou feliz com o meu retorno ao futebol amazonense. Estado que me deu grandes alegrias, fui muito feliz com as passagens que tive aqui. Estava em Sergipe onde fizemos um grande campeonato, resgatamos os torcedores pro estádio, fizemos a torcida ter orgulho do clube e da cidade. Espero fazer isso no Princesa. Sei da responsabilidade, pela cobrança dos gols, espero retribuir dentro de campo”, comentou o jogador.

O  Índio Negro não se esquivou de falar de sua ida para o maior  rival do Naça, na atualidade.  “Não foi fácil negociar com o Princesa, pensei duas, três vezes, não tive o privilégio de escolher o clube que iria jogar, queria o Barcelona (brinca). Aceitei a proposta do clube, eles abriram as portas pra mim, então aceitei a oferta. É mais um desafio na minha carreira, que independente da passagem que tive lá (no Nacional),  espero que aqui eu tenha bastante sucesso”. Leonardo falou ainda do episódio ocorrido na partida entre  Nacional e Princesa, pelo Campeonato Amazonense de 2014, no qual foi agredido por jogadores do Tubarão do Norte. Segundo ele, o episódio foi totalmente superado.

“Já apaguei. Perdoar é de Deus, alguns jogadores veio comigo, Fininho e Nando, me pediram perdão, da minha parte tá perdoado. Fui muito bem recebido por todos. O torcedor está me abraçando”, finalizou.

Publicidade
Publicidade