Publicidade
Esportes
Série D

Pós-queda: A sensação de dever cumprido em meio à dor da eliminação do Nacional

Jogadores e técnico falam sobre sensação de dever cumprido e dor por erros que originaram o gol do Altos e decretaram a eliminação do Nacional 11/06/2018 às 17:01 - Atualizado em 11/06/2018 às 17:13
Show nacional
(Foto: Antônio Lima)
Camila Leonel Manaus (AM)

Mais uma vez o sonho do acesso nacionalino foi adiado e desta vez não se sabe para que ano, já que o time ficou sem calendário para o ano que vem. O Naça quebrou o tabu de cinco anos sem passar da primeira fase, mas caiu na mesma etapa da campanha de 2013. Venceu o Altos por 4 a 2 na Colina. Fez os quatro gols que precisava com Sousa, Danilo Galvão e Fininho duas vezes, mas levou dois gols de Marcone e Vitor Bafana, que não podia levar, com isso, acabou eliminado pelo time piauiense.

O time que chegou a ocupar a lanterna do Grupo A3, deu a volta por cima e, em meio a greves e salários atrasados, passou de fase. Mas os problemas extracampo acabaram refletindo em mais uma queda do Leão. O técnico Lecheva comentou, por baixo, os episódios. Mas garantiu sentimento de dever cumprido.

"Da minha parte pode ter certeza que sim, o dever foi cumprido. Mesmo com muitos problemas, não só a questão salarial, como a falta de comprometimento de alguns atletas, que acabaram não entrando por isso, mas vou me resguardar disso”, limitou-se o treinador. 

Lecheva acrescentou que os vacilos do time custaram caro, principalmente a falta de atenção que deu origem ao segundo gol do Altos. 

"Na verdade nós sabemos que para fazer o placar em algum momento o time tinha que se expor e não podia acontecer o primeiro gol deles numa bola parada novamente. O que a gente lamenta é o jogo de ida. Hoje vencemos o jogo, mas sabemos que foi o de ida que definiu o placar", explicou o técnico.

Para os atletas

O meia Fininho foi mais além, disse que a falta de calma originou o terceiro gol, tento que custou caro ao Leão. "Após o terceiro gol, podia ter um pouco mais de calma, controlar o jogo. Faltavam 16 minutos e ainda tinha muito jogo. Mas o gol deles acabou esfriando muito mesmo. No fim acabei fazendo o quarto gol, mas não conseguimos porque não tinha mais tempo. Não foi fácil, mas fizemos um bom trabalho na Série D e lutamos até o fim. Foi isso que o torcedor esperava da gente", explicou o jogador e autor de dois gols na partida.  

Apesar de sentir a eliminação, Fininho acrescentou que o melhor foi deixado em campo na partida contra o Altos. “Eu acho que a palavra certa é essa: superação. Por tudo o que aconteceu e por tudo o que passamos. Demos a volta por cima e com muito empenho trouxemos coisas boas, positivas. Só tenho a agradecer ao professor Lecheva”, explicou.

Publicidade
Publicidade