Segunda-feira, 11 de Novembro de 2019
Craque

Academia Ivo Neto de jiu-jítsu ensina a arte suave há quase uma década no bairro de Santa Luzia

Quatro destes atletas oriundos da academia vão disputar o Campeonato Mundial da modalidade, que acontece entre os dias 24 e 26 deste mês, em São Paulo



1.jpg Academia Ivo Neto é um espaço democrático. Alunos estão levantando o próprio patrocínio para disputar competições
15/07/2015 às 12:09

Criado há 9 anos e tendo como sede o bairro de Santa Luzia, na zona Sul de Manaus, o Projeto Social Ivo Neto vem revelando cada vez mais valores para o jiu-jítsu amazonense. Quatro destes atletas oriundos da academia vão disputar o Campeonato Mundial da modalidade, que acontece entre os dias 24 e 26 deste mês, em São Paulo.

Viajam dia 21 para a capital paulista os lutadores Bryan Luiz, 10, categoria faixa amarela pesadíssimo, Bruno Diogo, 16, que compete na faixa azul juvenil, Marcos Vinícius, 8, faixa branca pluma e, Relison Rocha, 23, faixa azul adulto pesadíssimo (um dos maiores nomes do jiu-jítsu amazonense na atualidade e que é conhecido por conquistar a “tríplice coroa” no Estado , ou seja, o Campeonato Amazonense nas três federações da modalidade). É o que ressalta o próprio Ivo Neto, que é faixa preta de jiu-jítsu. “O Relison é a grande revelação do jiu-jítsu amazonense tendo vencido os três campeonatos das três federações, a tríplice coroa, aos 23 anos de idade”, disse o mestre.



De acordo com Ivo Neto, a expectativa para participação dos atletas amazonenses no Mundial é a melhor possível. Eles participaram de uma seletiva realizada no início do mês e se classificaram para o Mundial. “Eles são lutadores com índices muito bons e a nossa expectativa é de que eles fiquem entre os três primeiros do Campeonato Mundial, principalmente o Relison”, disse o confiante professor de jiu-jítsu.

Como não tem patrocínio, os quatro atletas contaram com o apoio de iniciativas do próprio projeto para angariar recursos e disputar a competição internacional. Foram organizadas, por exemplo, rifas na própria academia para pagar as inscrições no campeonato – R$ 180 para cada um - mais R$ 40 da carteirinha da Confederação Brasileira de Jiu-Esportivo, além da aquisição das passagens aéreas. “Eles não vão gastar nada em estadia porque vão ficar na casa de um atleta faixa preta que vai acolhê-los lá em São Paulo. No entanto, eles ainda precisam de recursos para ajudar na alimentação. Pretendemos fazer mais uma rifa nesse sentido. O único apoio que temos são dos pais que têm filhos nos projetos, e dos professores”, destacou Ivo Neto, que mantém o projeto de maneira gratuita aos alunos em Santa Luzia.

“Desde quando o projeto social foi fundado, há 9 anos, que não cobramos dinheiro para as aulas. O que cobramos são quatro quilos de alimentos não-perecíveis, por atleta, e que são transformados em ranchos para as comunidades da Zona Sul. Nós temos um levantamento das famílias carentes da área e repassamos, mensalmente, 10 dessas cestas básicas”, ressaltou Ivo.

Nove anos de conquistas

O Projeto Social Ivo Neto fica localizado na rua Leopoldo Neves, em Santa Luzia, sendo filiado à Federação de Jiu-jítsu do Amazonas (FJjAM) e conta com, aproximadamente, 120 alunos que treinam e recebem noções de jiu-jítsu em três períodos de 12 professores faixas-pretas.

Pela manhã a academia abre de 8h30 às 10h para os funcionários de locais como o Pólo Industrial de Manaus (PIM) que começam a trabalhar a partir de 14h; de 16h às 18h30 quem treina são os adultos; as crianças e mães praticam a atividade até às 20h (elas em uma turma especial num tatame separado na academia), dando lugar aos praticantes que largam do emprego à noite.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.