Publicidade
Esportes
MMA

Adriano Martins revela problema em última luta e garante lutar 100% em setembro

Em passagem rápida por Manaus, lutador do UFC movimenta fãs e amigos, fala sobre recuperação e projeta reencontrar o caminho das vitória 30/07/2017 às 05:00 - Atualizado em 30/07/2017 às 17:53
Show zcr0230 301 p01
Bastante aguardado pelos atletas mirim da ‘arte-suave’, Adriano Martins trouxe, também, mais incentivo para a nova geração que sonha em ser um ‘casca-grossa’ (Fotos: Antônio Lima)
Valter Cardoso Manaus

Era quinta-feira à noite. Enquanto rolam nos tatames do Personal Fight, os pequenos lutadores do projeto social acompanham, com olhos atentos, cada pessoa que pisa nas escadas de alumínio que dão acesso ao local. A ansiedade atende por um nome: Adriano Martins.

O amazonense, lutador do UFC, chega e os olhos atentos dão lugar aos  sorrisos. O ídolo apareceu. De passagem na terra natal, o lutador fez questão de visitar o projeto em meio a uma agenda lotada.  “Fico feliz com o carinho de todo mundo. Sempre sou bem recebido onde vamos, sempre tem gente tirando foto, reconhecendo, até porque batalhamos muito para isso. Além, claro, de rever a família e todo mundo, comer um churrasco na esquina, comer um x-salada alí no lanche (risos). Nós matamos a saudade, mas o principal de tudo é estar sempre voltado para o meu povo. Creio que a luta me trouxe uma visão diferente em ajudar as pessoas, as crianças que estão crescendo no esporte. Acho que o esporte mudou a minha vida e também pode mudar a de outras pessoas. Nosso lema é esse e o que eu puder fazer, vou estar fazendo com um sorriso no rosto, muito feliz”, revelou o lutador, enquanto dava entrevista à imprensa e era alvo, além das câmeras de televisão, de celulares dos pequenos fãs, em busca de uma lembrança.

Maiores características  do amazonense dentro do octógono, a agilidade e a força foram postas à prova quando visitou a academia no Belvedere, Zona Centro-Oeste. Precisou ser ágil para conseguir estar em todas as fotos solicitadas e a força para carregar a responsabilidade de representar o Estado na busca por mais uma vitória, desta vez no UFC 215, contra o canadense Kajan Johnson, no Canadá.  “Lutar na casa dele dá mais incentivo de fazer nosso melhor, de lutar melhor e de representar o Brasil e o Amazonas. Como já falei lá nos Estados Unidos vou falar aqui, infelizmente ele teve o azar de poder estar me enfrentando no país dele”, afirmou, confiante, o lutador.

A passagem por Manaus foi curta, mas as palavras deixadas pelo lutador não parecem ter sido passageiras. Após ensinar sobre as vitórias no tatame e na vida, o amazonense volta aos Estados Unidos para se preparar para ter o braço erguido no fim da próxima luta.  “Não tem por que estar pensativo em derrota pois já lutei com muitos caras duros, uma vez já fui até questionado em relação a isso. Eu nunca escolhi luta, nunca escolhi quem vou enfrentar, sempre tive a mentalidade de que a minha próxima luta vai ser contra o campeão e eu vou lá para vencer. Não vai ser diferente desta vez”, finalizou ele.



Lesão revelada 

Adriano Martins vinha em um momento espetacular no UFC, em uma sequência de três vitórias consecutivas. O ano de 2016, porém, não é de boas lembranças para o amazonense. Após uma lesão no joelho, Adriano precisou passar por cirurgia e, mesmo depois do procedimento, seguiu com problemas no joelho. Mesmo sem estar  totalmente recuperado,  o lutador voltou ao octógono diante do também brasileiro Leonardo Santos, no UFC 204, onde saiu derrotado. “A lesão me deixou impossibilitado de fazer todo meu treinamento normalmente, como todas as vezes eu fiz. Eu não podia chegar e falar para  a mídia mas foi o que aconteceu.  Nós adaptamos algumas coisas e aconteceu aquilo lá, não lutei 100%, tive pouca velocidade, pouca explosão, que eu tenho muito e isso me atrapalhou na luta”, revelou Adriano, sobre a luta que foi alvo de muitas críticas por conta do ritmo lento que foi praticado pelos dois lutadores.

 Com o treinamento comprometido na luta anterior, Adriano garante que desta vez o cenário é diferente. “A cirurgia me atrapalhou muito até porque eu não podia chegar e falar ‘olha, estou com o joelho machucado, não recuperei, deixei de fazer um treino ou outro’, mas aconteceu isso no meu camp, mas eu estou confiante, muito confiante”, garantiu o lutador.

Com um cartel de 28 vitórias e 8 derrotas na carreira, o amazonense  espera voltar a sua melhor forma para enfrentar o canadense Kajan Johnson, no dia 9 de setembro. “O povo pode esperar que eu vou estar 100%, como nas outras lutas em que ganhei vários bônus no UFC, se Deus quiser vai ser mais outro”, garantiu o lutador.

UFC 215

Além da luta de Adriano Martins, o UFC 2015, no Canadá, terá ainda mais participação amazonense.  No mesmo evento, Ketlen Vieira enfrenta Sara Mcmann, em duelo válido pela categoria peso galo feminino.

Publicidade
Publicidade