Publicidade
Esportes
MANAUS BOWL

Afiados, Broncos e Lions falam de preparativos para o XI Manaus Bowl

Às 20h, Broncos e Lions decidem quem leva o título no Manaus Bowl na Arena da Amazônia 22/12/2016 às 09:32 - Atualizado em 22/12/2016 às 15:06
Show spo aa19
As duas equipes fazem final inédita (Foto: Aguilar Abecassis)
Camila Leonel Manaus (AM)

Manaus Broncos e North Lions decidem às 20h, na Arena da Amazônia, quem será o campeão do XI Manaus Bowl. O clima da final é de realização de um sonho, mas depois do kick off (chute inicial) o clima é de disputa para decidir quem entrará para o hall dos campeões de futebol americano.

A entrada para o jogo é 1kg de alimento não perecível ou um brinquedo que pode ser entregue nas potarias da Arena da Amazônia na hora do jogo.

As duas equipes tiveram  as duas melhores campanhas da primeira fase da competição. Broncos e Lions tiveram quatro vitórias e duas derrotas em seis jogos, mas o North Lions passaram os rivais desta quinta (22) por terem marcado mais pontos. Foram 195 a favor e 64 contra. Já os Broncos marcaram 181 e sofreram 107.

Quaterbacks dos times estão com os braços calibrados para a final (Foto: Aguilar Abecassis)

A liderança na tabela deu aos Lions a vaga direta na final. Os Broncos conseguiram vaga na semi e esperaram o Cavs, que se classificou no wild card e conseguiram vencer de virada por 13 a 12. Um dos responsáveis pela vitória, o wild receiver e quarterback, Thalyson ‘Katolé’ Bisneto  fala

“Nós nos preparamos para a semifinal. A arbitragem expulsou o Coffee (QB dos Broncos). Depois daquela situação,fui tomar agua e o coach disse ‘preciso de ti agora. Esse é o momento. Você vai puxar o time’. Coloquei a cabeça no lugar e vamos para frente. Graças a Deus, a gente viru o jogo e conseguimos uma vitória porque antes de acontecer isso de disputar uma final, logo que eu cheguei nos Broncos, eu dizia que um dia eu queria jogar na Arena e levar os Broncos para a final”, disse.

Agora na final, o Broncos terá outro desafio: superar o time com a melhor campanha do campeonato. Além de líderes na primeira fase, o Lions tem a melhor defesa e o melhor ataque. No ataque é do Broncos a segunda  melhor camapanha ofensiva. É nesses números que o quaterback dos Leões do Norte, Binho Menezes, aposta.

O Broncos venceu o Cavs na Semifinal (Foto: Reprodução Internet)

“Esse é um dos pontos que mais gosto de falar. Numericamente, a gente têm melhor ataque, melhor defesa. Parecido com os Broncos, um time recém formado,  um nova gestão que surpreendeu a todos com competência técnica e de gestão para estar onde está. Estudamos o adversário : pontos fortes e pontos fracos, mas com todo o respeito, os números estão ao nosso favor”, disse.

Essa é a primeira vez que o Broncos chega à final. O time, que disputa o Campeonato Amazonense pela segunda vez, ficou na sétima colocação do certame em 2015. De acordo com Thalyson, a mudança de postura e o trabalho sério foram determinantes para esse salto.

“Pegar um time que ano passado ficou praticamente em último lugar no estadual, é gratificante para mim chegar à final. Quando assinei o contrato vi que o time tinha potencial”, fala o jogador, que ano passado foi campeão do Torneio TouchDown pelo T-Rex, de Santa Catarina.

Já os Lions tentam vencer o título inédito. Em 2014, eles bateram na trave e viram o Cavs se tornar penta-campeões. Uma das armas dos Leões é o running back Cadu. O Camisa 32 já jogou no Cavaliers e foi campeão em cima do atual time. Porém, agora ele tentará ganhar mais um título para a carreira e o primeiro para o Lions.

Cadu é um dos destaques do time dos Lions (Foto: North Lions)

“Estou parte nervoso, ansioso, procurando treinar  bastante. Recebi uma propsta para jogar nos Lions e acreditei na proposta do time. Acredito que o elenco dos Lions é bastante experiente e o nível dos jogadores é alto. Isso faz uma grande diferença, além de termos uma boa defesa”, contou.

Até hoje na carreira, Cadu conta que venceu as duas finais que disputou e pretende manter o 100% de aproveitamento em finais. “Com certeza só que agora pelos Lions. Me identifiquei com o time.  Um tempo eu até pretendia voltar ao antigo time, mas eu fiz amizade tão grande aqui que não penso mais em sair dos Lions”, concluiu.

 

Publicidade
Publicidade