Publicidade
Esportes
Craque

Amantes do hipismo em Manaus terão sábado especial com a Prova dos 3 Tambores

Evento que acontece hoje no Amazon Equus vai reunir 30 competidores, marcando a reinauguração do Haras de Manaus; disputa está marcada para as 19h 18/10/2014 às 09:45
Show 1
Amazon Equus é mais uma opção para divertimento e tratamento
Anderson Silva Manaus (AM)

Os apaixonados por cavalos vão ter um verdadeiro encontro com destreza, velocidade e dinâmica da Prova dos 3 Tambores, a ser realizada na noite de hoje, às 19h, no Haras e Centro Equeste Amazon Equus, localizado no Tarumã, ramal do Baiano, 1200, na Zona Oeste de Manaus.

A disputa, que reinaugura o Haras, vai contar com aproximadamente 30 competidores nas categorias aberta, amazona, infantil e Kid’s de todo o Amazonas.

“Depois da Copa do Mundo, Manaus ficou muito parada. A competição é uma maneira de reunir os cavaleiros e incentivar o esporte. Queremos também agregar as famílias para o esporte”, explicou o organizador do evento, Miguel Segura.

Outras disputas também prometem encantar o público. É o caso da prova do laço e o team penning (equipe formada por três cavaleiros que precisam apartar 20 garrotes).

“São disputas que quem for assistir vai gostar. Vai ser muito bom e teremos um espaço dedicado paras as crianças com pula-pula, touro mecânicoi e o clube do pônei”, disse.

Ecoterapia

Uma das “bandeiras” do evento é destacar a Ecoterapia, que utiliza cavalos para proporciona benefícios como ganhos motores e psicológicos para pessoas de todas as idades, especialmente, aos portadores de deficiência física ou motora, com distúrbios psíquicos e pessoas com problemas de relacionamento pessoal.

“Atualmente há dois locais em Manaus que trabalham com a ecoterapia. São aproximadamente 1.500 pessoas entre crianças e adultos que fazem essa terapia. E esse tratamento é indicado para pessoas que sofreram ou nasceram com paralisia cerebral, neurológica, ortopédica e mental. São inúmeras as patologias para as quais a ecoterapia é indicada”, disse a amazona, Vanessa Oliveira, que está enganjada com a causa.

O tratamento, que dura cerca de dois anos, tem mostrado eficiência, mas esbarra no preconceito com o esporte. “As pessoas falam que é um esporte de risco. Mas a ecoterapia não envolve risco com o animal. É absolutamente seguro e dispomos de uma equipe multidisciplinar”, afirmou. 

Publicidade
Publicidade