Publicidade
Esportes
DIGITAL

Estado do Amazonas acompanha movimento e também evolui nos e-sports

Esportes eletrônicos superam desconfiança do mercado, vão ganhando espaço entre as grandes marcas e conquista cada vez mais o público em geral 27/12/2017 às 11:14
Show 33381519515 b2d0825833 o medium
Alexandre ‘Titan’ estreou com 16 anos no maior campeonato de LoL do Brasil vestindo a camisa da Kabum. Jogador integra equipe que vai disputar o CBLoL 2018. (Foto: Divulgação/Riot Games Brasil)
Valter Cardoso Manaus (AM)

A adesão aos jogos cresce gradualmente em todo o País. Sessenta e um milhões jogam algum tipo de jogo, aponta a Pesquisa Game Pop Ibope, realizada em 2012, última pesquisa focada no público gamer. Desde então, os campeonatos multiplicaram, os jogadores se profissionalizaram e o mercado explodiu. De olho neste crescimento, clubes de futebol criaram departamentos exclusivos de esportes digitais, como Santos, Remo e mais recentemente, o Flamengo. E o Amazonas não fica de fora deste cenário. 

O maior exemplo do talento baré nos esportes eletrônicos é Alexandre Lima, o “Titan”. Com apenas 17 anos, o amazonense é o  jogador mais novo a atuar no Campeonato Brasileiro de League Of Legends (CBLoL).

“Representar o Amazonas é algo gratificante, já que eu não tinha ideia de que sairia de Manaus algum dia, mesmo sentindo que tinha potencial para conseguir algo maior. Hoje em dia, sabendo que eu represento o Estado, faz com que eu sempre tente obter o melhor desempenho. Busco mostrar que, por mais que seja difícil a subida, nada é impossível”, explicou o AD Carry da Kabum, que também reconheceu que o estado tem um obstáculo a mais em relação a outras regiões do país.

“Com certeza, acredito que tem muito a melhorar em questão de internet. Quando há uma situação de, mais ou menos, 69/79/80  de ping (basicamente, a velocidade da conexão com a internet), é algo que dificulta muito o jogo, o que leva a um desempenho ruim. Já em São Paulo, é 9, o que te faz ser mais ágil no jogo. Portanto, em questão de qualidade, só a internet que atrapalha”
 
Mas não é só em escala nacional que os e-sports crescem. Tanto que já há um movimento que busca tornar a modalidade olímpica, nos jogos de 2024. Enquanto isso, os jogadores se organizam para  fortalecer as diversas frentes deste movimento. Para os amantes dos jogos de futebol, por exemplo, já existe até federação.

“O cenário do futebol digital no Amazonas está muito competitivo. Aqui nós temos um dos públicos mais competitivos do Brasil. É um público que participa bastante, que questiona, opina e busca melhorias. Eu diria que o cenário do futebol digital amazonense está em plena atividade, está aquecido”, explicou o  vice-presidente da Federação de Futebol Digital e Virtual do Amazonas, Dailton Vicente . 

Acessível, o cenário digital abre mais uma porta para talentos amazonenses, mas o caminho não é diferente dos ‘esportes tradicionais’. “Tudo no e-Sports se trata de dedicação, determinação, e sempre ser quem você é. Acredito que, pra você ser um profissional de qualquer área no e-Sports, você precisa ter um dom, nascer pra isso e complementar esse talento”, garantiu Alexandre Titan.

Publicidade
Publicidade