Publicidade
Esportes
Punição no Futsal Amazonense

AM é punido com exclusão de competições masculinas de futsal sub-17 por 3 anos

O Palas Atena deixou de participar de competição nacional e, com isso, os times amazonenses receberam punição severa da confederação 09/04/2016 às 12:12 - Atualizado em 09/04/2016 às 12:12
Show futsal sub 17 palas atena de amarelo foto 2 by emanuel mendes siqueira
A equipe do Palas Atena (de amarelo) venceu a última edição do Campeonato Amazonense sub-17 (Foto:reprodução internet)
Camila Leonel Manaus (AM)

O Amazonas foi suspenso por três anos de competições masculinas sub-17 organizadas pela Confederação Brasileira de Futebol de Salão (CBFs) após o time do Palas Atenas não participar da Taça Brasil Sub-17, que acontece em Fortaleza. A competição começou no dia 4 de abril e vai até o dia 9.

A punição veio devido à dessitência do time do Palas Atena, campeão  amazonense sub-17 em 2015. O título dava à equipe o direito de participar da competição nacional, porém uma complicação não permitia que o Palas Atena usasse o nome que usou na competição estadual. Com isso, o Abílio Nery, outro time amazonense “emprestou” o nome ao Palas para que os atletas participassem da Taça Brasil. Porém, o time não cumpriu com os prazos de incrição e pagamentos de taxas.

“Eles alegaram que tiveram atletas contudidos. A informação que teria a competição foi em janeiro. Aí, ás vesperas da competição, me ligam  às 9h da noite e informaram que não iriam. Me falaram que tinha oito atletas e desses oito não tinha goleiro na divisão especial e sem goleiro não tem como competir”, explicou o presidente da Federação Amazonense, Tarcísio Anchieta.

O Amazonas só voltará a participar de competições masculinas sub-17  em 2020, já que a punição começa a valer a partir do ano que vem. Porém Anchieta disse que na próxima semana viaja para Fortaleza para conversar com o presidente da FBFs, Marcos Antônio Madeira, sobre o caso.

“A gente tem um bom trânsito com a confederação e ele prometeu que irá fazer uma análise para que essa punição fique apenas para a equipe. O que é desagradável é que o Abílio Nery emprestou o nome e o que aparece é o nome da equipe deles, mas a gente está batalhando com isso e tomara que consiga resolver essa situação”, comentou.

Caso a punição seja mantida, Anchieta prevê que as consequências para o futsal amazonense sejam grandes e possa prejudicar uma geração.

“Há uma perda enorme. Isso faz com que se perca gerações porque eu vou ter três gerações que não vão poder participar de competição nacional. É um trabalho todo jogado fora. Esses ciclos são de três em três anos. Você consegue formar uma geração e em três anos ela vai estar pronta para uma competição nacional. O lamentável é um clube  dizer ‘não quero saber disso’ que foi o que eu escutei do dirigente, e por isso, o estado todo vai ser punido”, lamentou.

O presidente da Federação citou ainda o caso do Tuna Luso, que ano passado conseguiu o vice-campeonato na Taça Brasil e disse que todo o esforço do ano passado “caiu por terra”.

Sobre uma punição para o Palas Atena a nível estadual, o presidente afirma que não há no estatuto punição prevista para esse tipo de infração, mas que será convocada uma assembleia para julgar o caso.

“Vários clubes estao liderados e  me procuraram sobre isso. A gente trabalha  dentro da legalidade e a gente não tem previsto do estuto ou do regulamento de competições para equipe que leve wo. A gente tem a prerrogativa da assembleia geral e quem decide é a assembleia”. A reunião está marcada para a quinta-feira (14), na Vila Olímpica.

Publicidade
Publicidade