Publicidade
Esportes
LUTADOR

Amazonense, Diego Ferreira projeta volta por cima no UFC após suspensão polêmica

Nascido em Careiro da Várzea, Diego Ferreira se aproxima da volta ao UFC após ser suspenso por dopping e relembra momentos de superação na sua carreira 27/08/2017 às 13:34 - Atualizado em 27/08/2017 às 16:03
Show 17309417 1254915017894910 6561338177995595381 n
Nos Estados Unidos, Diego Ferreira investiu na criação de uma academia de Jiu-Jitsu brasileiro e MMA onde dá aulas para os novos atletas. (Foto: Reprodução/Facebook)
Valter Cardoso Manaus-AM

O ano 2016 foi um ano marcante para o amazonense Diego Ferreira. Logo em janeiro, voltou a vencer no UFC e voltava a buscar uma vaga entre os melhores da categoria peso-leve da organização. Já estava no card do UFC Las Vegas, mas foi surpreendido com resultado positivo no exame antidoping. De acordo com o lutador, tudo por conta de uma informação que não constava na bula de um suplemento alimentar que havia comprado. “Este problema foi mais de comunicação, mais da empresa que me forneceu o produto. Então hoje eu estou processando a empresa porque não tinha na bula o que tava no produto então é mais culpa da empresa que me forneceu isso”, revelou Diego.

Apesar da justificativa, a punição foi severa. Em abril daquele ano recebeu gancho de 17 meses fora do UFC. Mesmo com o golpe, o lutador não se deu por finalizado. “Me deram esta suspensão mas estou correndo atrás, estou tentando treinar. Não  me abati não, isso é coisa da vida, não é culpa minha, não posso fazer nada. Às vezes Deus coloca algumas pedras no nosso caminho para nós tentarmos superar, então eu tiro isso como um obstáculo.  Tudo bem, eu estou esperando agora, minha suspensão acaba no fim do mês que vem então estou esperando o UFC me ligar e tentar pegar uma luta e deixar isso para trás. Esse problema já passou, a USADA (Agência Anti-Doping dos Estados Unidos) já me fez uns quatro ou cinco testes só nestes dois últimos meses então só estou esperando o UFC”, explicou o lutador, que projeta voltar por cima. “Espero fazer uma boa atuação (no retorno). Pretendo ter mais força de vontade, mais garra. Eu vou buscar a vitória, treinar o máximo que eu puder. É o que eu posso fazer  para os meus fãs e meus amigos que sempre me apoiaram e estão me apoiando agora neste momento mais difícil, fora das competições. Espero fazer meu melhor e mostrar minha melhor atuação dentro do octógono”, garantiu.

Se o objetivo é dar a volta por cima o maior exemplo vem da própria história do lutador. Depois de  passar por dificuldades em busca de apoio desde o início da carreira, Diego saiu de Careiro da Várzea, foi para Manaus e, com 23 anos, saiu do Amazonas para morar nos Estados Unidos. “Já passei por muitas dificuldades até aqui mesmo. Morei dois dias na rua, mas isso é coisa que só faz fortalecer a pessoa. Graças a Deus, tenho a minha família, minha esposa e meus filhos agora comigo. Pensar em desistir até passou pela minha cabeça, mas nunca desisti. Nunca deixei a peteca cair, então fui para cima tentar ganhar a vida aqui mesmo e corri atrás mesmo”, relembrou, otimista, o lutador amazonense.

Polêmica

 O 7-keto-DHEA, uma das substância encontradas no exame de Diego Ferreira, foi a mesma que causou a suspensão de Lyoto Machida do UFC. Na época, Lyoto afirmava desconhecer que a substância era proibida por ter entrado recentemente na lista de restrições. O 7-keto-DHEA é encontrado em qualquer farmácia nos Estados Unidos e vendido como cápsula vegetal para emagrecimento sem prescrição médica por não ser considerado um anabólico.

Publicidade
Publicidade