Quinta-feira, 23 de Maio de 2019
Craque

Amazonense faz parte da equipe brasileira de tiro com arco nos jogos Pan-Americanos

Em três anos, Larissa Feitoza deixou de ser uma iniciante no tiro com arco, para se tornar atleta da seleção brasileira da modalidade. Ela já está em Toronto, no Canadá



1.jpg
Dos cinco amazonenses que participam dos Jogos Pan Americanos, Larissa é a única que ainda treina e mora no Estado. Ela começa a competir na próxima semana
09/07/2015 às 09:53

Recentemente, ao completar dez meses de seleção brasileira de tiro com arco, a amazonense Larissa Feitoza, de 20 anos, ganhou um presente e tanto: a convocação para os Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, que começam amanhã. As competições do tiro com arco começam a acontecer na semana que vem.

Em meio ao corre-corre dos treinamentos para a competição internacional, a arqueira conversou com o MANAUS HOJE e falou da felicidade e expectativa de disputar uma das maiores competições internacionais do esporte.

“É uma felicidade muito grande. Impossível descrever, por que além do sonho de ir para as Olimpíadas, disputar os Jogos Pan Americanos também era um dos meus propósitos. No momento quando recebi a convocação, mesmo já com a quase certeza de que eu estaria na lista, foi uma emoção muito grande. Todos os meus esforços valeram a pena”, descreve a atleta, natural de Coari (a 362 quilômetros de Manaus) que faz parte do Centro de Treinamento de Alto Rendimento da Amazônia (CTARA) e integra a Federação do Amazonas de Tiro com Arco (Fatarco).

Caminhada

Larissa Feitoza é competidora da categoria Juvenil do tiro com arco, mas, já disputa provas na Adulta. Seus principais títulos são a medalha de ouro por equipe do Pan-Americano de Tiro com Arco realizado ano passado na Argentina, além da prata na seletiva das vagas para o Pan de Toronto e o bronze no individual. “Sou a atual campeã brasileira Adulto”, ressalta a atleta nascida em Coari.

A convocação para o Pan não foi uma surpresa, diz ela. “De qualquer forma, mesmo apesar de já suspeitar que eu seria convocada, foi uma surpresa muito boa. Meus esforços, muitos treinos e resultados do ano anterior e este ano deram com certeza um peso muito grande para que isso acontecesse”, comentou. Quando a reportagem pergunta se temos chance de medalhar nos jogos Pan-Americanos, ela responde de forma bem direta: “Sim. Com certeza temos chances de muitas medalhas nestes Jogos”, afirma.

Em maio, a amazonense disputou em Xangai, na China, a 1ª etapa do Mundial da modalidade e, apesar de não ter subido ao pódio, ela analisa que a competição serviu como importante aprendizado. “Essa participação, pra mim, foi uma coisa nova. Eu nunca tinha viajado para esse tipo de competição onde o nível é tão alto. Infelizmente não subi no pódio, mas realmente adquiri uma experiência e um aprendizado muito grande para mim e para minha carreira de arqueira”, contou a jovem coariense. Ela também tem no currículo outras participações em competições internacionais no Chile, Argentina,Turquia e Estados Unidos.

SEIS PERGUNTAS PARA: Larissa Feitoza, atleta do tiro com arco

Qual seu maior sonho dentro e fora do esporte?

Dentro do Esporte é ser a Melhor do Mundo e fora é ter uma vida bem sucedida!!

Quem são seus ídolos no esporte?

Aida Roman e Ki Bo Bae!!

Quem lhe patrocina? Você recebe bolsas de apoio do Estado e do Município?

Eu não tenho patrocínio oficial ainda,mais recebo uma bolsa da prefeitura de Manaus,uma bolsa do governo,salário da seleção brasileira, salário de sgt da FAB,que integrei a equipe da FAB,esse ano como 3º sargento,então esses são minhas ajudas.

Como foi seu começo na modalidade?

Comecei no tiro com arco aos 17 anos na Vila Olímpica. O tiro foi a prova que eu gostei. Foi a modalidade que eu vi que mandava muito bem e que teria um grande futuro.

Como foi a sua infância em Coari?

Eu estudava, e gostava de brincar muito. Sempre pratiquei esportes: desde os 11 anos de idade eu gostava de jogar tênis de mesa. Dos 12 aos 14 treinei vôlei e, no resto do tempo ficava em casa com a minha família. Aos 17 anos eu descobri o tiro com arco e foi legal, aprendi rápido.

Em três anos você deixou de ser uma iniciante para atleta Pan Americana. Sua ficha desse grande feito já ‘caiu’?

Essa ficha caiu mais ou menos (risos). Eu tenho muito orgulho de ser a única atleta do Norte do País na seleção. Mostro que o amazonense é um povo talentoso. 



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.