Publicidade
Esportes
Craque

Amazonense que conquistou prata em SP retorna a Manaus com sentimento de vitória

Jéssica Oliveira chegou ontem em Manaus, após ficar longe de casa por cerca de três meses - além da disputa do Abu Dhabi Combat Club, ela também passou por um camping na Califórnia, onde aprimorou seus conhecimentos 07/09/2015 às 21:42
Show 1
Jéssica voltou ao batente na Gracie Barra. Ela volta a competir no fim de semana depois de se ‘apresentar’
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Sentimento de dever cumprido e uma medalha de prata que muito bem poderia ter sido um ouro. E que na verdade vale ouro! É esta a avaliação que a lutadora amazonense Jéssica Oliveira, 23, faz do vice-campeonato do Abu Dhabi Combat Club (ADCC) disputado no final de semana em São Paulo.

Competindo pela academia Gracie Barra Amazonas, a faixa marrom da categoria até 60 quilos, que neste ano conquistou o mundial de jiu-jítsu- teve um desempenho muito bom principalmente tendo em vista que derrotou, nas semifinais do ADCC, ninguém menos do que a gaúcha Gabi Garcia, bicampeã do ADCC e favoritíssima ao título. A prata veio na disputa com a também brasileira Ana Lúcia Cordeiro, por pontos.

Jéssica chegou ontem em Manaus, após ficar longe de casa por cerca de três meses - além da disputa do Abu Dhabi Combat Club, ela também passou por um camping na Califórnia, onde aprimorou seus conhecimentos.

“Cheguei sendo considerada uma azarona no ADCC, mas muito confiante pois havia treinado bastante. Foi uma honra ter lutado pela primeira vez no Abu Dhabi contra a Gabi Garcia. Eu sabia que a qualquer momento iria enfrentá-la. Eu estava preparada psicologicamente”, explicou.

No combate contra Gabi, Jéssica adotou a estratégia de manter a guarda fechada, por ser mais leve e magra do que a oponente, visivelmente mais forte fisicamente que a amazonense. Jéssica contou que, após o combate, sentiu que poderia ser campeã. A vitória para a amazonense neste combate veio por decisão dos jurados. ”Eu já estava sentindo que poderia vencera Gabi. Me movimentei bastante, tentei duas quedas e senti bastante a luta. Dei meu sangue pela Gracie Barra Amazonas”, comentou a lutadora baré.

Agradecimento

Sobre a derrota para a mineira Ana Laura Cordeiro, Jéssica Oliveira explicou que a experiência da adversária foi primordial para a vitória da oponente. “Ela é mais experiente, tem mais tempo na faixa preta e de competições, apesar de considerar que a luta foi boa para mim. Mas a experiência nessa primeira vez do ADCC foi muito boa”, comentou ela.

A amazonense contou que a fase classificatória foi disputada com “lutas superfortes” no sábado - no domingo foram realizadas a semifinal com Gabi Garcia e final com Ana Lúcia Cordeiro. Para a competidora, a experiência do primeiro Mundial ADCC foi muito boa.

“Aprendi muito e vi que tudo é possível e que ninguém é invencível”, contou a lutadora faixa marrom, agradecendo ao seu sensei Henrique Machado e a todos amigos e torcedores que estão juntos nesse momento de cada vez desenvolvimento da sua carreira.

Acredite: ela não tem patrocinador!

Jéssica disse que o camping do qual participou recentemente na Califórnia foi fundamental para sua boa participação no ADCC. “Aprimorei o físico e as chaves de pé que me ajudaram muito na primeira luta contra uma adversária polonesa”, disse ela.

Sem patrocinadores (seu apoio vem da Gracie Barra Amazonas), ela volta a lutar no final de semana no Manaus Internacional Open da IBJJF.

Em outubro, volta aos EUA visando o Mundial Sem Quimono em novembro na Califórnia. Ainda em outubro acontece a seletiva para o Abu Dhabi.

Publicidade
Publicidade