Domingo, 20 de Outubro de 2019
PIONEIRA

Campeonato Brasileiro de Boxe Chinês tem primeira representante do Amazonas

Patrícia Andrade será primeira amazonense a disputar do campeonato, que ocorre sábado (14) e domingo (15)



Boxe_chines_B85C3ACD-4E55-4C9F-82CD-F5E975A29D64.jpeg Foto: Winnetou Almeida
14/09/2019 às 15:32

O Boxe Chinês, modalidade derivada do Kung Fu, que ganhou maior notoriedade depois dos filmes do lutador e cineasta Bruce Lee, na verdade tem uma origem muito mais longínqua. 

A modalidade também recebe o nome de ‘Sanda’, que significa literalmente, luta livre. Sua origem está ligada a China pós Guerra da Coreia, em 1953, onde o governo chinês percebeu a necessidade da criação de uma arte marcial mais eficaz contra fortes inimigos. Desde então aconteceram muitos avanços nesse estilo de combate e o Sanda passou a ser encarado como esporte.  



No Amazonas, a modalidade não é das mais tradicionais. Apesar disso Patrícia Andrade e todos os integrantes da Associação Nunes de Boxe Chinês trabalham para mudar esse cenário. Aos 38 anos, ela será a primeira mulher amazonense a disputar o  Brasileiro de Boxe Chinês, neste fim de semana, em Maceió. A atleta compete na categoria iniciante até 60 kg.

“Iniciei em Janeiro deste ano no esporte, tenho um professor no meu bairro Santa Etelvina, o Jonathan Viana, que inclusive é campeão brasileiro, e foi através dele que conheci o Sanda/Boxe Chinês", disse. 

A ascensão de Patrícia foi "meteórica". Apenas com alguns meses de treino ela já se sagrava campeã amazonense. 

"Em Julho fui convidada pelo Mestre Nunes a participar do campeonato amazonense. Não estava tão confiante porque seria minha primeira luta, mas encarei o desafio e consegui a vitória", comentou.

A boxeadora revelou que, na verdade, no começo da prática não gostava muito do esporte. 

"Vou ser bem sincera, no início queria fazer Muay Thai, mas não encontrei. A partir do momento que fui praticando Boxe Chinês fui gostando da modalidade e me apaixonei", afirmou. 

 Ela também já projeta um futuro em categorias avançadas da modalidade, onde as premiações também são em dinheiro. 

“Como sou iniciante ainda não tem (permiação), mas com certeza almejo isso. Aqui no estado infelizmente não é tão valorizado. Essa participação no brasileiro também é uma forma da gente estar divulgando a modalidade porque ela não é tão conhecida", apontou. 

Atualmente, Patrícia Andrade concilia os treinamentos com o trabalho e filhos. “Todos os dias, às 5h da manhã, estou arrumando os meninos para ir pra escola, depois vou pro meu trabalho. Quando chego em casa, vamos merendar e depois já  vamos para academia, e essa é a rotina.” disse.

O mestre Nunes, atual professor de Patrícia é bicampeão mundial de boxe e tenta passar experiência para sua atleta. “Aqui somos uma família mesmo, na hora de treino sério é sério mas o clima também é descontraído” afirmou o mestre.

News whatsapp image 2019 06 21 at 16.12.51 7cbfadd4 8d2b 47cf a09e 336b83276e71
Repórter de A CRÍTICA

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.