Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020
Parintinense

Amazonense vai à Argentina disputar o Sub-18 Sul-Americano de atletismo

No último Sul-Americano disputado, Pedro Henrique ficou em terceiro lugar e o foco agora é “evoluir” no pódio



unnamed__1_.jpg A melhor marca do atleta vai além dos 67 metros no lançamento de vara (Divulgação)
11/11/2016 às 16:05

O atleta amazonense Pedro Henrique embarcou na madrugada desta quinta-feira (10) para a sua terceira competição internacional. O representante do Amazonas disputará o Campeonato Sul-Americano Sub-18 de atletismo, que acontece dias 12 e 13 de novembro, em Concórdia, na Argentina. Para ir à competição, ele conta com o apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

A primeira parada de Pedro foi em São Paulo para encontrar com outros atletas e nesta sexta-feira (11) a delegação segue rumo ao campeonato. No último Sul-Americano disputado, Pedro ficou em terceiro lugar e o foco agora é “evoluir” no pódio, de preferência com sua melhor marca, que vai além dos 67 metros no lançamento de vara.



“Estou bastante confiante para essa disputa, até porque me considero experiente em campeonatos nacionais e outros. Por isso, estou bem focado nos treinamentos para fazer meu melhor. Durante meu treino, fiz um teste de lançamento e obtive 71 metros, que me deu bastante confiança para entrar na prova”, afirmou Henrique.

Histórico do atleta

Pedro Henrique iniciou no atletismo aos 17 anos, devido um exemplo de “dentro de casa”. Isso porque, ele é sobrinho de Jander Cardoso, lançador de referência do Amazonas. Revelado nos Jogos Escolares do Amazonas (Jeas), o atleta nasceu em Parintins e mora atualmente na Vila Olímpica de Manaus, onde recebe treinamento diário.

“Comecei no esporte através do meu tio, Jander Cardoso, que faz a mesma modalidade. Vi algumas viagens dele e campeonatos que ele fazia fora e coloquei na minha cabeça que iria fazer atletismo. Fui testando para ver em qual modalidade eu me encaixava e fiz prova de velocidade, salto, arremesso e parei no lançamento de dardo”, relatou o jovem, que recebeu impulso dos pódios nos primeiros campeonatos para continuar no esporte.  

“Em 2013 fui para o Campeonato Brasileiro sem treinar, ganhei e fui recordista da prova, foi quando Margaret Bahia, minha treinadora atual, me chamou para morar em Manaus com ela, e até hoje estou aqui, feliz e querendo crescer no atletismo”, comentou.

*Com informações da assessoria de imprensa


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.