Publicidade
Esportes
Craque

Amazonenses conquistam medalha de ouro no Campeonato Brasileiro de Tiro com Arco

Nelson Silva (Inha) e Graziela Paulino (Yaci), atletas indígenas do Amazonas, garantem 1º lugar 05/11/2015 às 20:37
Show 1
Amazonenses derrotaram atletas da seleção brasileira em disputa realizada em Goiânia
Camila Leonel Manaus

Com um sorriso no rosto, Nelson Silva (Inha) e Graziela Paulino (Yaci) exibem a medalha de ouro conquistada no último domingo no Campeonato Brasileiro Outdoor de Tiro com arco, em Goiânia. Para os dois atletas indígenas do Amazonas, a “ficha ainda não caiu”, principalmente porque para conseguir a façanha de conquistar o primeiro lugar em duplas mistas, foi preciso vencer na final a dupla carioca Marcus Vinícius D’Almeida e Ana Marcelle dos Santos, ambos da seleção brasileira de tiro com arco e atuais campeões brasileiros.

Treinando há quase dois anos no projeto Arquearia Indígena do Amazonas, Graziela e Nelson unem o amor ao esporte e a técnica para se superarem e conseguirem bons resultados na competição. Além de enfrentar dois destaques da competição nacional, ele precisaram lidar com uma mudança nos equipamentos. A quatro dias da competição, eles receberam novos equipamentos, mais pesados do que os anteriores, e isso poderia dificultar o desempenho dos atletas, mas como ressaltou o técnico Aníbal Forte, eles “não tomaram conhecimento da mudança”.

O Amazonas levou para o campeonato cinco atletas, mas no primeiro dia, nas provas individuais, eles foram eliminados, mas na prova de duplas, Graziela e Nelson conseguiram chegar à final.

“A gente pensou que ia perder porque eles (Marcus Vinícius e Ana Marcelle) são o número 1 do Brasil e a gente não acredita até agora que a gente ganhou.  Ficamos muito felizes,  o nosso treinamento está melhorando bastante”, disse Nelson, de 15 anos, da etnia Kambeba.

Mais desafios
No próximo mês, os atletas viajarão para os Estados Unidos, onde passarão uma semana treinando em solo americano.

“Me dá um nervoso. O coração está ansioso. Se conseguir essa oportunidade vai ser muito bom para a gente. Vamos conhecer outros lugares, atirar em um campo diferente e isso é bom”, explicou Graziela, que é da etnia Karapanã.

Apesar da conquista no Brasileiro, os atletas não terão muito tempo para comemorar, já que na próxima semana, eles já voltam aos treinos para as seletivas para a seleção brasileira de tiro com arco. E a primeira seletiva já acontece no mês de dezembro. Até as Olimpíadas de 2016, serão três seletivas até realizar o sonho de participar dos Jogos do Rio de Janeiro.

“A gente vai continuar participando das seletivas  e treinando. O treino vai começar a ser intensivo”, prometeu Graziela.

Publicidade
Publicidade