Sábado, 20 de Julho de 2019
Craque

Amazonenses participam de Copa Master de futebol no Caribe

Grupo de amigos vai participar pela terceira vez da competição, que cada ano acontece em um lugar diferente



1.png Amigos treinam com disposição para enfrentar desafios no Caribe
21/05/2013 às 14:13

<!-- /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:"Tabela normal"; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; mso-style-parent:""; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin-top:0cm; mso-para-margin-right:0cm; mso-para-margin-bottom:10.0pt; mso-para-margin-left:0cm; line-height:115%; mso-pagination:widow-orphan; font-size:11.0pt; font-family:"Calibri","sans-serif"; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-hansi-font-family:Calibri; mso-hansi-theme-font:minor-latin; mso-fareast-language:EN-US;}-->

 Apaixonados por futebol, os amigos Nivaldo Mendonça e WeymarMavignier um dia resolveram reunir os amigos para jogar uma peladinha no fim desemana, no campo do condomínio Jardim das Américas, Zona Oeste. O encontro, quena verdade é uma maneira de acabar com o estresse da semana, se transformou em uma grande confraternização, que já dura 11 anos.

Hoje com 34 participantes, a “reunião” ficou séria, os jogadores usam uniformese a equipe  foi batizada de Futebol Jardim das Américas (Fuja) e tem atémascote. O Camaleão, que uma vez ou outra também entra em campo, foi parar noescudo da camisa oficial do Fuja.
Esta semana, 23 atletas des turma de amigos, vai encarar, pela terceira vez,uma missão internacional. Veja fotos aqui.

“Há três anos nós participamos de um torneio que reúnevários times do planeta, da categoria master. A primeira vez que participamosfoi no México, onde ficamos em terceiro lugar. Na segunda vez, em Aruba,alcançamos a quarta colocação. E agora vamos para o Caribe brigar pelo primeirolugar”, comentou Nivaldo Mendonça. A média de idade dos atletas do Fuja é 56 anos, o atleta mais experiente tem 72e o caçula 45. Por conta disso, antes de entrarem em campo, todos eles passarum tipo de ritual.

“Nós contratamos um técnico de enfermagem que está conoscoem todas as nossas partidas e antes da bola rolar ele sempre  verifica anossa pressão. E eu como médico oriento que  pelo menos duas vezes porsemana, todos os participantes façam outra atividade física e que tambémmantenham os exames em dia”,  explicou Evandro Eucides.
Apesar de não ser profissional, o Fuja é um time organizado e tudo o que aconteceno grupo, como frequência, número de jogos e artilharia,  é registrado emuma planilha, que é verificada por todos os jogadores.



Apaixonados por futebol, os amigos Nivaldo Mendonça e WeymarMavignier um dia resolveram reunir os amigos para jogar uma peladinha no fim desemana, no campo do condomínio Jardim das Américas, Zona Oeste. O encontro, quena verdade é uma maneira de acabar com o estresse da semana, se transformou emuma grande confraternização, que já dura 11 anos.
Hoje com 34 participantes, a “reunião” ficou séria, os jogadores usam uniformese a equipe  foi batizada de Futebol Jardim das Américas (Fuja) e tem atémascote. O Camaleão, que uma vez ou outra também entra em campo, foi parar noescudo da camisa oficial do Fuja.
Esta semana, 23 atletas des turma de amigos, vai encarar, pela terceira vez,uma missão internacional.

“Há três anos nós participamos de um torneio que reúnevários times do planeta, da categoria master. A primeira vez que participamosfoi no México, onde ficamos em terceiro lugar. Na segunda vez, em Aruba,alcançamos a quarta colocação. E agora vamos para o Caribe brigar pelo primeirolugar”, comentou Nivaldo Mendonça.
A média de idade dos atletas do Fuja é 56 anos, o atleta mais experiente tem 72e o caçula 45. Por conta disso, antes de entrarem em campo, todos eles passarum tipo de ritual.

“Nós contratamos um técnico de enfermagem que está conoscoem todas as nossas partidas e antes da bola rolar ele sempre  verifica anossa pressão. E eu como médico oriento que  pelo menos duas vezes porsemana, todos os participantes façam outra atividade física e que tambémmantenham os exames em dia”,  explicou Evandro Eucides.
Apesar de não ser profissional, o Fuja é um time organizado e tudo o que aconteceno grupo, como frequência, número de jogos e artilharia,  é registrado emuma planilha, que é verificada por todos os jogadores.

<!-- /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:"Tabela normal"; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; mso-style-parent:""; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin-top:0cm; mso-para-margin-right:0cm; mso-para-margin-bottom:10.0pt; mso-para-margin-left:0cm; line-height:115%; mso-pagination:widow-orphan; font-size:11.0pt; font-family:"Calibri","sans-serif"; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-hansi-font-family:Calibri; mso-hansi-theme-font:minor-latin; mso-fareast-language:EN-US;}-->

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.