Publicidade
Esportes
SUPERATLETAS

Triatletas amazonenses precisam ser super-heróis para encarar o Ultraman e o Ironman

André Costa e André Martins precisam de muita força para se prepararem para provas de longas distâncias. Neste ano, os dois encaram grandes competições dentro e fora do Brasil 17/02/2019 às 19:20 - Atualizado em 17/02/2019 às 19:39
Show triathlon 0969eaaa 8f29 4c50 a62a ee595c1e5cdb
Fotos: Sandro Pereira/A Crítica
Jéssica Santos Manaus (AM)

Eles não são super-heróis, mas precisam ter muita força para treinar várias horas por dia e superar todas as dificuldades impostas a quem pratica esportes de resistência. Nesse sentido, os triatletas amazonenses André Costa e André Martins não compartilham apenas o nome, mas também o gosto por provas longas e difíceis.

Outro ponto em comum entre os destemidos triatletas é que, em 2019, os dois irão encarar desafios gigantes, para super-homens! André Martins vai representar o Brasil no Mundial Ironman 70.3, na França, e André Costa será um dos poucos selecionados a participar do UB515, Campeonato Sul-Americano de Ultra Distância, mais conhecido como Ultraman, atravessando cidades do interior de SP e RJ, nadando, pedalando e correndo.

Ironman

André Martins conquistou a vaga para o Mundial Ironman 70.3 (cat.20-24), que será 16 de novembro, na França, ficou extremamente feliz, mas conseguir ter seu nome entre os melhores foi apenas o primeiro dos desafios até a prova. “É gratificante ser um dos poucos amazonenses a conseguir vaga para um Mundial dessa distância, então, estou feliz, mas as dificuldades são grandes. Fui buscar patrocínios e ainda bem que algumas empresas se interessaram porque tenho dois filhos, e preciso conciliar a vida de pai com os treinos”, explica. 

Na competição, ele vai nadar 1,9km, pedalar 90km e correr 21km, e quer chegar forte. “Preciso me preparar bem porque viso performance, não só participar, e lá terão atletas de alto nível”.

Ultraman

André Costa terá um desafio de três dias, entre 26 a 28 de abril, no Ultraman: no primeiro dia, vai nadar 10km na Praia do Perequê-Açú/SP e, na sequência, pedalar 145km na BR-101/Rodovia Rio-Santos, entre Ubatuba/SP e Paraty/RJ. No segundo dia, ele vai percorrer 276 km de ciclismo, partindo de Paraty, com chegada em Ubatuba. No terceiro dia, a prova termina com 84,4km de corrida em Ubatuba. Mas o que levou André a querer encarar um desafio tão grande assim? É que ano passado, ele também encarou o Unogwaja Challenge na África, pedalando 1.660km em dez dias e correndo 90km no 11º dia, e isso o motivou a querer novos desafios.

“É uma prova que a gente tem que respeitar, uma distância muito grande, e eu sempre soube que não é porque eu já fiz um Ironman que poderia migrar para um Ultraman porque é uma prova que exige preparação e confiança em si mesmo,  mas depois do que eu fiz na África, no Unogwaja, vi que tinha condições de fazer o Ultra, mas é uma prova que exige muita cabeça”, explica André Costa. 

Sempre valentes e arrojados  

Para chegar pronto no Ultraman, André Costa tem feito uma preparação que não é para qualquer um. “São treinos muito longos, todos os dias, então não adianta treinar muito forte num dia e não fazer no outro, e também faço fortalecimento muscular para evitar lesões, mas esses treinos ainda vão ficar mais longos, piores. O que costumo fazer para conseguir treinar todos os dias, mesmo numa segunda-feira, é acordar mais cedo, começar 4h da manhã, e encontrar meus colegas de treino a partir das 6h; e se chover, enquanto os outros ficam em casa, eu treino da mesma forma, não posso ficar sem treinar. Mas tenho que ponderar, não dá para fazer só isso porque não vivo do esporte”, explica André Costa.

André Martins também precisa ser arrojado como um herói para conseguir se preparar para o Mundial Ironman 70.3.  “Como preciso treinar, mas também trabalhar e ficar com meus dois filhos pequenos, procuro treinar bem cedo ou à noite. Ainda bem que estou com alguns apoios também porque pretendo fazer nove provas de triathlon este ano, alguns Ironman 70.3 como preparação, e os patrocinadores são fundamentais”, conta.

Frases

"Não acho que o Ultraman seja algo impossível, nem que seja para qualquer um fazer. Não sou diferenciado, mas é preciso dedicação para entrar numa prova assim", André Costa, triatleta.

“Podemos Não ser Ironmans fisicamente, mas, esperitualmente, temos que ser homens de ferro para aguentar a rotina para chegar bem numa prova desse nível, são provas muito longas, desgastantes, e temos que estar preparados, temos que ter algo a mais”, André Martins.

70.3 milhas

É a distância do Ironman que André fará. Em quilômetros, é 1,9 de natação, 90 de ciclismo e 21 de corrida.

515 quilômetros

É a distância do Ultraman somada. O UB515 é um desafio de 10km nadando, 421km pedalando e 84km correndo.

Publicidade
Publicidade